DN Digital
Cidades
16/01/13 - Cidades > Local

SERVIÇO


Fazer a Carteira de Trabalho ficou mais ágil em Paranavaí

Tadeu Néia informa que são emitidas mensalmente cerca de 120 Carteiras. A maior procura acontece justamente nesta época do ano. Os meses de dezembro a fevereiro têm mais movimento

Fazer a Carteira de Trabalho ficou mais ágil em Paranavaí Walace Néia mostra o arquivo cheio de carteiras não buscadas pelos titulares. Ele destaca também a agilidade no atendimento

Há menos de um ano solicitar a Carteira de Trabalho e Previdência Social - CTPS - em Paranavaí exigia tempo e paciência. Hoje a situação está mais tranquila e o documento disponibilizado antes do prazo máximo estipulado - que é de 15 dias. A espera já foi de mais de 40 dias. Reforço na equipe de funcionários e tecnologia foram utilizados para a melhoria do serviço.
Chefe da Agência do Ministério do Trabalho de Paranavaí, Walace Tadeu Néia informa que a equipe tem dois novos funcionários - sendo um concursado e outro cedido pelo Ministério da Integração. Um funcionário é exclusivo para atender a emissão de carteira. A agência atende de segunda a sexta-feira das 09 às 12 horas e das 14 às 16 horas.
Tadeu Néia informa que são emitidas mensalmente cerca de 120 Carteiras. A maior procura acontece justamente nesta época do ano. Os meses de dezembro a fevereiro têm mais movimento, relata.
A razão é que muitos jovens chegam ao mercado de trabalho após conclusão de cursos. Também as pessoas aproveitam as férias para solicitar os documentos. Há um incremento de até 60%, compara.
PARCERIA - O trabalho foi facilitado em parte pela parceria com a Agência do Trabalhador, que também passou a encaminhar pedidos. O diretor da agência, Carlos Scarabelli, informa que foram feitas 1.131 carteiras desde fevereiro do ano passado. São pelo menos cinco por dia. Scarabelli fala em espera máxima de 20 dias.
Em ambos os casos, o documento é encaminhado por Paranavaí e emitido pela regional do Ministério do Trabalho de Maringá. Naquela cidade também houve incremento na equipe, agilizando a emissão de CTPS.
TITULARES “ESQUECEM” A CARTEIRA - A agência do Ministério tem cerca de duas mil Carteiras de Trabalho a espera do titular. Isso porque muita gente solicita e simplesmente não volta para buscar. Há documentos na “fila” desde o ano de 2001.
Em alguns casos, a pessoa se esquece que pediu o documento e volta para fazer outro, quando é surpreendida com a carteira já pronta. Também há um grande número de pessoas que perdem a CTPS.
O Ministério é um ponto de referência para os documentos perdidos ou extraviados. Quem acha, entrega no local ou nos Correios, que também levam para o Ministério.
ACHADOS E PERDIDOS - Atualmente são mais de 100 carteiras achadas, aguardando os seus titulares. Há uma lista com nomes de pessoas cujas carteiras foram encontradas. Está fixada na porta da agência do Ministério do Trabalho.
O Ministério do Trabalho presta uma série de serviços além da emissão de CTPS. Faz homologações, seguro desemprego, mediações e uma série de informações trabalhistas, tais como sobre FGTS e Caged.
Para acomodar os serviços de forma mais adequada, o Ministério estará mudando de endereço nos próximos dias. Hoje funciona em um espaço cedido pela Previdência Social. Quando da mudança, haverá informe com antecedência, diz Tadeu Néia.  


Fonte: ADÃO RIBEIRO - Da Redação