Paranavaí
Min. 20°C Max. 35°C
EDUCAÇÃO

Escola e família devem caminhar juntos

Especialista alerta que os pais não devem terceirizar para a escola funções de sua responsabilidade

23/03/17 00:00:00 - Cotidiano > Educação

CURITIBA - “A família e a escola podem colaborar para a construção da identidade de crianças e jovens atuando como parceiros”. Essa afirmação é unanimidade entre os especialistas em educação que acreditam nesse princípio para uma promoção do desenvolvimento integral do indivíduo. 
Segundo o filósofo e educador César Nunes, consultor do Sistema Positivo de Ensino (SPE), “a escola, para ser um agente de humanização, tem que ter relações orgânicas com a família e com a sociedade”. No entanto, existem diferentes papéis e funções formativas entre elas, embora tanto escola como família contribuam e se articulem na formação das crianças e dos adolescentes.
Para o consultor que já escreveu 26 livros, e é professor titular de filosofia e educação na Unicamp, a família não deve terceirizar para a escola as funções e as bases educacionais que são de sua responsabilidade, tais como a formação moral, a educação ética e social. Mas os pais podem (e devem) participar intensamente da vida educacional, cultural e escolar de seus filhos.
Nunes explica que participar não é somente investir numa boa escola, cobrar os conteúdos ou manifestar atitudes similares. “Participar é acompanhar plenamente o desenvolvimento dos filhos, com base em uma premissa de que é preciso acreditar que cada pessoa é uma versão única e original de vida: acompanhar os filhos nessa apropriação da humanidade, ajudá-los no desenvolvimento de suas identidades e na formação de seu caráter, aceitar as características deles, reforçá-los em suas escolhas, apoiá-los em suas decisões!”, enfatiza. 
E continua: “os pais presentes na vida moral, cultural e educacional são a luz para os filhos.”
Confira a seguir mais opiniões do especialista sobre o tema:
- Quando falamos em educação, o que é de responsabilidade da escola?
À escola cabe formar a criança na continuidade da formação familiar, com ênfase na aquisição de conhecimentos, nas atitudes e condutas, nas posturas pessoais e coletivas, diante dos fenômenos institucionais e vivenciais. Cabe à escola solidificar os valores, acentuar e legitimar as práticas de solidariedade, de responsabilidade, de sustentabilidade, mas o lugar do nascimento e o reforço estrutural dessas práticas é na família. E, de algum modo, é também a sociedade, os seus espaços e as suas expressões que atuam num processo coadjuvante de formação da criança e dos adolescentes iniciados na família e fortalecidos pela escola.
- Como a escola e a família podem colaborar com o desenvolvimento dos jovens? 
A família e a escola são os universos matriciais da humanização, do desenvolvimento humano, social e subjetivo das crianças e dos adolescentes. Tanto a família quanto a escola precisam acreditar que o exemplo é a melhor prática educativa. Não adianta fazer discursos e sermões para os estudantes, ou ainda fazer preleções para os filhos sobre as coisas, sem o devido acompanhamento da coerência e da verdade.
Para ser educador, pais e mães educadores, para se tornar e ser reconhecido como um professor-educador, é preciso ser verdadeiro, estar convencido de alguns princípios e agir como exemplo vivo. Se os pais exigem leituras, a melhor forma de educar é sentar junto com os filhos e ler com eles um livro, contar histórias, conversar, brincar. Exigir que as crianças leiam e nunca ser visto em práticas de leitura é um dos exemplos clássicos de incoerência. E se torna o paradigma de outras atitudes.
- Quais mudanças são necessárias nesse contexto? 
A grande e inalienável tarefa da família é a de amar e acolher seus filhos e filhas. A grande lição da escola é a de dar continuidade a essa experiência gratuita de amor e de acolhimento, com a consequente função de encaminhar a criança e os adolescentes no mundo da cultura, na convivência com os diferentes, na ampliação do universo familiar. Saber e conhecer são valores socialmente muito importantes, mas tem que ter parâmetros éticos e políticos voltados para a promoção da vida, para a prática da liberdade, para o respeito às diferenças. Não posso ter a presunção de que o saber esteja acima da vida, da igualdade humana. Não pode a erudição superar a sabedoria. Só há dois caminhos para a felicidade: a ética - cultivar valores pessoais e grupais, e a política - estabelecer consensos coletivos altruístas, elevados, inspiradores. Temos que aprender sobre as coisas, sobre o mundo, para sermos pessoas melhores, solidárias e sensíveis.
- O que falta na formação dos estudantes?
Nossos estudantes gostam de ver pessoas sinceras e comprometidas com as causas da sustentabilidade ambiental, do compromisso social e da ética. Esses princípios têm que estar no projeto pedagógico da escola, no dia a dia, nas práticas de acolhimento e de convivência entre os mestres, dos mestres com os estudantes e entre os próprios estudantes. 
A escola que ensina e prepara os seus estudantes para compreenderem o mundo do trabalho, da política e da cultura convoca todos para darem sua palavra e contribuição. Só uma geração de professores e gestores humanizados, críticos, sensíveis e participativos produz uma geração de estudantes sensíveis, críticos e humanizados.
- E qual o seu conselho aos pais? 
Para ser um pai (ou uma mãe) do passado, com os erros e contradições do próprio passado, nós temos experiências históricas já prontas e acabadas, convincentes até. Mas, para sermos os pais e mães numa sociedade de novos direitos e novos deveres, temos que aprender com os filhos, com o tempo, com as contradições e com as conquistas atuais. 
Há que se aprender entre as gerações. Nós, pais, temos que ter a grandeza e a coragem de conversar com nossos filhos e aprender com eles. É preciso educar para ser pessoa, para ser um ser humano pleno. Essa é a grande lição e o lema da escola. Educar para a humanização dos afetos e dos conhecimentos. Família e Escola são convidadas a construir esse novo mundo.

Cotidiano

SENADO

Projeto estabelece critérios básicos para infraestrutura de escolas públicas

DESAFIO

Como escolher a melhor escola?

EDUCAÇÃO

Local de prova do Enem será divulgado a partir do dia 16

EDUCAÇÃO

MEC divulga resultados preliminares do Censo Escolar 2019

ENSINO

Rede estadual tem mais de 1,3 mil vagas para cursos técnicos

REDE ESTADUAL DE ENSINO

Líder do governo prioriza diálogo e busca acordo sobre carga horária de professores

INSCRIÇÃO GRATUITA

Exames da Educação de Jovens e Adultos serão em março e abril

PREVENÇÃO DA GRAVIDEZ

Ministro da Saúde defende educação sexual nas escolas

EDUCAÇÃO

Educação de Jovens e Adultos já conta com quase 100 mil alunos

GOVERNO/PR

Escola Conectada vai ampliar a rede de informática nas escolas

EDUCAÇÃO

Inscrições para o Fies terminam na quarta-feira

IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO

“Precisamos chamar a atenção dos nossos jovens”, afirma educadora

AULAS

Fique de olho no peso da mochila do seu filho

DESAFIOS

Novo Ensino Médio: O que mudou em um ano nas escolas brasileiras

ENSINO

Paraná lança aplicativo exclusivo para professores da rede estadual

ATENÇÃO DOS PAIS

5 dicas para começar as aulas com o pé direito

REDE ESTADUAL

Escolas estaduais se preparam para início das aulas

INSCRIÇÕES ATÉ SEXTA-FEIRA

ProUni oferta quase 243 mil bolsas em instituições de ensino particulares

EDUCAÇÃO

Formação continuada fortalece gestão democrática nas escolas estaduais

ENSINO SUPERIOR

Aleixo assume segunda gestão com foco na consolidação da Unespar

agência dream