Paranavaí
Min. 17°C Max. 33°C
BELEZAS NATURAIS

Mil quilômetros de praias de água doce enriquecem turismo do Paraná

Praticamente no meio desses mil quilômetros está o município de Porto Rico, hoje talvez tão conhecido pelos veranistas paranaenses como as praias de Guaratuba e Caiobá

11/04/19 00:00:00 - Cotidiano > Estadual
Mil quilômetros de praias de água doce enriquecem turismo do Paraná Panorama do Rio Paraná, na cidade de Porto Rico, no Noroeste Foto: Jaelson Lucas/ANPr

É verdade que o Paraná tem o menor litoral entre os estados da costa brasileira. Em compensação, tem uma extensão de mais de mil quilômetros de rios contínuos que marcam a divisa do estado com São Paulo, ao Norte; a divisa com o Mato Grosso do Sul no Noroeste, e a fronteira com o Paraguai, a Oeste.
De uma ponta a outra, os rios Paranapanema e Paraná desenham os contornos do estado somando incontáveis praias de água doce em margens aumentadas pelos imensos lagos das usinas Chavantes, Capivara, Taquaruçu, Rosana e Itaipu. 
É espaço para praias, banhos, esportes aquáticos, cachoeiras, matas, resorts e diversão. E muito investimento numa atividade sustentável, que contribui para a preservação ambiental.
“O circuito de água doce é prioritário para o desenvolvimento do turismo”, explica o diretor-presidente da Paraná Turismo, João Jacob Mehl, ao falar dos planos da atual administração para melhorar a infraestrutura e incentivar novos empreendimentos. 
A ideia, segundo ele, é desenvolver o turismo como uma opção econômica, com a geração de empregos e renda, e melhoria da qualidade de vida da população.
PORTO RICO - A enorme extensão de rios é como se fosse um litoral interno, sem nada a dever aos prazeres proporcionados pelas águas salgadas dos oceanos. 
Praticamente no meio desses mil quilômetros está o município de Porto Rico, hoje talvez tão conhecido pelos veranistas paranaenses como as praias de Guaratuba e Caiobá.
De acordo com o secretário de Turismo da cidade, Christian Begosso, a população da cidade, de 2,6 mil habitantes, chega a 14 mil na temporada, movimentando hotéis, pousadas, restaurantes e serviços turísticos. Além disso, a vantagem é que temporada chega a oito meses por ano, com uma média de temperatura variando entre 28 e 32 graus.
BELEZA E MERGULHO - Porto Rico ostenta inúmeras praias de água doce no Rio Paraná que surpreendem pela beleza e possibilidades de banho tranquilo. Mas há também ótimas opções de aventuras aquáticas e passeios por locais inusitados, entre eles o encontro das águas dos rios Paraná e Curutuba, este já no Mato Grosso do Sul.
“Temos locais para mergulho onde podem ser contempladas pelo menos 30 espécies de peixes”, orgulha-se Begosso, que cita outro destaque: mais barcos que lá, só mesmo no litoral. Tanto barco é mesmo necessário para tanta oferta de passeios, que inclui o acesso à Ilha Santa Rosa, um enorme banco de areia de 45 mil metros quadrados de puro convite ao relaxamento.
PORTO SÃO JOSÉ - Outro polo turístico que chama a atenção é o Porto São José, distrito de São Pedro do Paraná. Por lá, o destaque é a festa do padroeiro, com missa no deslumbrante cenário à beira-rio; e concursos de pesca, como o que acontece no começo de maio para comemorar a Festa do Jaú.
INVESTIMENTOS - O município programou investimento de R$ 1 milhão para fazer melhoramentos nas barrancas do rio, na praia artificial e nas rampas de acesso, como explica o chefe de Tributação e Cadastro da prefeitura, João Gustavo Luizão Fernandes.
A estrada que liga os dois pólos, com apenas 17 quilômetros de distância (PR 691), promete se transformar numa agitada beira-rio. Há previsão de construção de novos condomínios residenciais, que estão se tornando verdadeira febre atraindo investidores e moradores das cidades próximas, que constroem casas de lazer e transformam os locais em agradáveis balneários.
Num dos já existentes em Porto Rico, por exemplo, vive o maratonista Vanderlei Cordeiro de Lima, bicampeão dos Jogos Pan-americanos e medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Atenas 2004. Em São Pedro está o primeiro porto de areia ecologicamente correto do Brasil, construído em 2001.
RIBEIRÃO CLARO - Os recantos de lazer e condomínios se sucedem ao longo dos rios Paranapanema e Paraná, onde às vezes acontecem procissões de barcos e chalanas, que se movem entre as dezenas de ilhas. Nas margens, fazendas, plantações, pousadas rústicas e a vida bucólica de pequenas cidades – elas têm em média de dois a três mil habitantes.
No extremo Leste deste corredor de águas que desenha as divisas do Paraná, fica o município de Ribeirão Claro, ponto de chegada para quem quer conhecer o projeto Angra Doce – uma infinidade de água, cascatas e praias ao redor do lago da represa de Chavantes.
São 400 quilômetros quadrados de extensão e o lago tem mais de 9 bilhões de metros cúbicos de água, formado pelos rios Paranapanema e Itararé. Mas antes de chegar lá, é preciso olhar a região de cima, do topo do Morro do Gavião, de onde se descortina um cenário deslumbrante - 360 graus de horizonte muito verde. Embaixo, a propriedade particular oferece estrutura pra receber os turistas, como muitas outras pousadas, restaurantes e quiosques da região.
EMPREGO E RENDA - O município integra um projeto maior, com outras quatro cidades paranaenses e dez paulistas. O projeto é um esforço dos governos dos dois estados para promover a recuperação econômica da região (Norte Pioneiro, no caso do Paraná), por meio do estímulo e da promoção do turismo sustentável. O objetivo, como explica o presidente da Paraná Turismo, é elevar o índice de desenvolvimento, com a atração de investimentos para geração de empregos e mais qualidade de vida.
O lago da Usina Hidrelétrica de Chavantes fica na confluência dos rios Paranapanema e Itararé, e recebeu o nome de Angra Doce por causa das incontáveis baías e ilhas que lembram Angra dos Reis, no Litoral fluminense.
O projeto tem apoio do Programa Cidades do Pacto Global das Nações Unidas e tem perfil mais que propício para a prática de esportes, rafting, canoagem, trekking, asa delta, parapente, equitação e pesca esportiva. Além disso, são inúmeras as cachoeiras, trilhas, praias artificiais e lugares históricos, como a ponte pênsil Alves de Lima, que foi destruída durante a Revolução Constitucionalista de 1932 e reconstruída quatro anos mais tarde. (Da ANPr).

No outro extremo estão Guaíra, Foz do Iguaçu e Itaipu
No outro extremo, no lado Oeste do mapa, um pouco antes de chegar a Foz do Iguaçu, mas já às margens do Lago de Itaipu, está Guaíra, cercada também pelo Rio Paraná num trecho que recebe o pomposo título de “maior arquipélago da América do Sul”. 
Os títulos não param por aí – a região é chamada de portal do Pantanal Paranaense, um importante corredor da biodiversidade, onde estão pelo menos 200 ilhas e uma riquíssima fauna.
Entre Guaíra e Foz do Iguaçu, o reservatório de Itaipu, com 170 quilômetros de extensão, banha 16 municípios – 15 no Paraná e um do Mato Grosso do Sul e oferece uma infindável lista de atrações aquáticas.
Destino turístico do Paraná mais visitado por estrangeiros, Foz do Iguaçu, tem nas Cataratas do Iguaçu seu principal atrativo – 275 quedas d’água que se estendem por quase cinco quilômetros do Rio Iguaçu. 
Foz abriga também a Hidrelétrica de Itaipu, a maior do mundo em geração de energia, o Parque das Aves e o Marco das 3 Fronteiras, na fronteira do Brasil com Paraguai e Argentina.

Cotidiano

ESTRADAS

Com foco em velocidade e embriaguez, PRF lança Operação Semana Santa

EVADIU PEDÁGIO

Caminhão tinha mais de R$ 11 mil em débitos

CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL DA APA

COMAFEN promove reunião em Loanda com presença do IAP para apresentar ações ambientais dos municípios da região

PREÇOS MAIS ACESSÍVEIS

Produtores já podem enviar propostas ao Programa Trator Solidário

PAGAMENTO

Governo autoriza pagamento das promoções para 1.063 policiais militares

APÓS QUEDA EM 2018

Mortes no Paraná sobem 27,5% no 1º trimestre de 2019, aponta PRF

EXECUTIVO

Governador confirma economia de R$ 80 milhões com medidas de gestão

NÚMEROS

PRF apreende 3,5 toneladas de drogas no 1º trimestre no Paraná

SEDE DO GOVERNO

Governo reforça presença no interior para agilizar ações do Estado

REUNIÃO EM LONDRINA

Governo quer sociedade participando do planejamento do Paraná

LAUDOS/REVISÃO

Faltas no trabalho por motivo de doença serão investigadas

PRIMEIRO BIMESTRE

Com crescimento de 10%, Paraná lidera produção industrial brasileira

PORTOS

Tempo de espera dos navios nos Portos do Paraná diminui 46%

EM TODAS AS REGIÕES

Receita Estadual fiscaliza postos de combustíveis

TCE-PR

Firma reconhecida e cópia autenticada não podem ser exigidas em licitações

CONTRA A GRIPE

Vacina é trivalente e protege contra duas cepas de vírus A e uma cepa de vírus B

TRÂNSITO

Cerca de 1,35 milhões de pessoas morrem a cada ano vítimas de acidentes no trânsito

EM LONDRINA E CASCAVEL

Já são três mortes por dengue no Estado

NÚMEROS/IBGE

Produção industrial do Paraná repete bom desempenho em fevereiro

FIEP-PARANÁ PESQUISAS

Paranaenses aprovam governos federal e estadual, revela pesquisa

agência dream