Paranavaí
Min. 16°C Max. 29°C
SEGURANÇA

Denarc reforça combate ao narcotráfico

11/06/19 00:00:00 - Cotidiano > Estadual
Denarc reforça combate ao narcotráfico O delegado do Denarc falou sobre o trabalho realizado neste ano

A Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc) da Polícia Civil do Paraná prendeu nos primeiros quatro meses do ano 147 pessoas envolvidas no tráfico de drogas. Também foram recuperados 71 veículos e 46 armas de uso restrito, além de cerca de 23 toneladas de maconha, 5 toneladas de cocaína, mais de 200 quilos de crack e quantidades expressivas de haxixe, LSD, ecstasy e sintéticos. Dados da Secretaria de Segurança Pública apontam crescimento de 47,6% na apreensão de ecstasy e 29,9% na de crack em relação aos primeiros meses do ano passado.
Esses números, no entanto, são apenas a ponta de um iceberg que é descortinado dia após dia com ações estratégicas. Segundo o delegado Ítalo Biancardi Neto, responsável pelos oito núcleos estaduais da Denarc, os números evidenciam a estratégia de combate ao crime organizado operacionalizada a partir do ataque a toda a cadeia, da fabricação de drogas ao transporte e comercialização.
Os objetivos são retirar as drogas de circulação das ruas com eficiência e impedir que esse mercado prolongue a promiscuidade com criminosos que cometem furtos, roubos, homicídios e lavagem de dinheiro.
“Nós atacamos a posse, o transportador, o fornecedor, o chefe da célula e os patrões do grupo. Com muita inteligência”, afirma o delegado Biancardi. “Nosso objetivo é trabalhar de forma abrangente, sem escolher uma determinada variável e ficar apenas nela para engrandecer esses números”, diz ele.
“Cada núcleo tem a sua região de abrangência e suas preocupações. A ideia é olhar isso de forma global. De todas as variáveis do narcotráfico, do varejão aos entrepostos. E, principalmente, onde acontecem os problemas decorrentes como homicídios, prostituição, aliciamento de crianças e as áreas próximas às escolas”.
INTEGRAÇÃO – Faz parte da estratégia da Denarc, incentivada pela Secretaria de Segurança Pública, a integração das forças das polícias civil e militar para ajudar a conter o abuso do uso de drogas e a oferta nas ruas. As dificuldades passam pelo tamanho do mercado consumidor e pela pulverização em todas as classes sociais.
O delegado destaca que tem muita gente consumindo, de todas as classes. A diferença é do nível econômico. “Quem tem dinheiro usa LSD, ecstasy, cocaína, MDMA. Maconha e crack são mais acessíveis a classes menos afortunadas. Mas todas estão consumindo e consumindo muito. Isso retroalimenta o narcotráfico”, explica o delegado. “Esse é um sistema empresarial. Como a demanda é grande, a oferta também aumenta”.
Segundo as últimas pesquisas, o consumo tem crescido em todo o País, que está prestes a se tornar o segundo maior mercado consumidor de cocaína do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos. “O Brasil é uma rota de exportação, mas também lugar de chegada para consumo. Isso dá a dimensão do problema e dos crimes que estão conectados”, diz Biancardi.
dificuldades”, complementa.
FRONTEIRA - Segundo o delegado-geral da Polícia Civil do Paraná, Silvio Rochemback, os objetivos da repressão passam também pela estratégia de fronteira. “O que dificulta o nosso trabalho é a extensão da nossa fronteira. Ano a ano o índice de apreensão e a quantidade de operações de repressão qualificada para desarticular organizações criminosas aumentam”, afirma.
“A cada ano intensificamos o trabalho de inteligência para que os ataques da Polícia Civil sejam cirúrgicos, de forma a cortar a cadeia de fornecimento das drogas que entram pelo Paraná e são distribuídas em outros estados”.
PROBLEMA SOCIAL – Ao mesmo tempo em que atua na repressão ao crime organizado, a Polícia Civil mantém nas estruturas da Denarc o Centro Antitóxicos de Prevenção e Educação (CAPE), em que policiais fazem atendimento à sociedade.
Eles têm como meta esclarecer a comunidade a respeito da drogadição, principalmente de adolescentes, bem como formar agentes multiplicadores para o combate ao uso de entorpecentes. Os policiais também encaminham seus assistidos a entidades públicas ou privadas que controlam dependência física ou psíquica.
ABRANGENTE - As dificuldades aumentam porque a sociedade está doente, segundo o delegado do Denarc. “Estamos trabalhando toda essa conjuntura para, do ponto de vista da inteligência, impactar determinados locais e regiões do Estado. Um trabalho que não se encerra na repressão ao tráfico. Há um esforços contra a lavagem de dinheiro, os laboratórios de sintéticos, os entrepostos. Estamos diante de um problema abrangente, temos que pensar de forma complexa daqui para frente”, completa.
MOBILIZAÇÃO – Para ajudar a compreender e discutir todas essas questões, o governador Carlos Massa Ratinho Junior lançou terça-feira da semana passada (04.06) a campanha “Junho Paraná sem Drogas”, que foi instituído pela Lei Estadual 19.121/17. A proposta é promover durante todo o mês ações para esclarecer a população sobre os riscos do uso e abuso de álcool e outras drogas, e incentivar a busca de orientação, esclarecimento e tratamento, disponível na rede pública de saúde.

Cotidiano

PARANÁ

Governo e empresa discutem logística reversa de embalagens longa-vida

PARANÁ

Empresas públicas apresentam ferramentas contra corrupção

PARANÁ

Seminário promove conscientização sobre violência contra pessoa idosa

DIREITOS HUMANOS

Paraná vai instalar comissão para combater trabalho escravo

ÉTICA

Governador propõe cláusula anticorrupção em todos os contratos

DESENVOLVIMENTO

Governo prepara bases para criar 500 mil empregos no Estado

TRABALHO

Fomento Paraná lança linha de crédito para caminhoneiros

ADMINISTRAÇÃO

Banco Mundial alerta para gastos com folha de pagamento no Paraná

PARANÁ

Campanha incentiva a doação de sangue no inverno

POLÍTICA

Acordo garante discussão da reforma da Previdência sem obstrução

CRUZEIRO DO OESTE

Grupo é flagrado após abater animal silvestre

PARANÁ

Fiscalização recupera mais de R$ 1 milhão para o Estado

NEGÓCIOS

Pesquisa mostra otimismo do setor de hospedagem do Paraná

SISTEMA ELÉTRICO

Copel planeja construção de subestação de energia no Noroeste do Paraná

INVESTIMENTO

Estado vai retomar obras paralisadas em outras gestões

APRESENTAÇÃO

Governo conhece nova alternativa de combustível limpo

PARANÁ

Com mais divulgação, Disque Idoso já recebeu 590 denúncias em 2019

MÉTODO BIM

Governo inova para economizar e dar velocidade a obras no Paraná

PARANÁ

Polícia Federal apreende ambulância e caminhões com cigarros contrabandeados

ALEP

Proibição definitiva do "fracking" no Paraná é aprovada pelos deputados estaduais

agência dream