Paranavaí
Min. 13°C Max. 28°C
REBANHO

Paraná avança para obter status livre de aftosa sem vacinação

16/07/19 00:00:00 - Cotidiano > Estadual
Paraná avança para obter status livre de aftosa sem vacinação Rebanho paranaense está entre os maiores do país

O Paraná caminha para conquistar o status sanitário de Estado Livre de Febre Aftosa Sem Vacinação. A última campanha de vacinação do rebanho bovino e bubalino foi em maio, em animais de zero a 24 meses. O índice de cobertura foi de 99%, considerado o melhor dos últimos anos.
A próxima campanha, prevista para novembro, pode não acontecer caso o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento declare o estado livre de febre aftosa sem vacinação. Depois disso, a expectativa é que a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) chancele o novo status paranaense em maio de 2021.
De acordo com o secretário de Estado da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, essa medida representará possibilidades de ganho para os pecuaristas e para o Estado. “Não há mais motivo para os produtores continuarem a gastar dinheiro com a compra de vacinas se não há mais a doença”, afirmou. Estima-se que os produtores paranaenses deixem de gastar cerca de R$ 30 milhões nesse serviço.
O último foco de febre aftosa no Paraná foi em 2006. De lá para cá, não houve mais circulação viral, em razão dos esforços de vários setores, entre eles o governo estadual que estruturou a Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) para garantir o serviço de fiscalização e vigilância animal.
Ortigara reforçou também que o status a ser concedido pela OIE possibilitará que o Estado amplie o comércio mundial de carnes, acessando mercados que têm restrições ao rebanho vacinado. “Muitas cooperativas e indústrias estão prontas para destravar investimentos de expansão em suas plantas, caso tenham condições de acessar mercados mais disputados e que pagam mais pelas carnes bovina e suína”, disse o secretário.
Outro benefício, diz o secretário, é a segregação do Paraná em relação ao grande bloco formado por 25 Estados considerados como área livre com vacinação. Com esse isolamento, o Estado não será prejudicado se, eventualmente, aparecer doença em uma localidade distante milhares de quilômetros do Paraná.
INVESTIMENTO – O Paraná preparou-se nos últimos anos para atingir o nível atual que o faz pleitear o status de livre da febre aftosa sem vacinação. Foram contratados profissionais para o trabalho de fiscalização e vigilância, além de ter reformado as instalações onde funcionam as barreiras interestaduais.
O Estado tem 32 Postos de Fiscalização do Trânsito Agropecuário (PFTA) nas divisas com os estados de Santa Catarina, Mato Grosso do Sul e São Paulo, e um posto em fase de construção na rodovia BR-116, divisa com São Paulo.
Houve também investimento em fiscalização volante, que conta com ajuda da Polícia Rodoviária Estadual, além dos sistemas de gerenciamento e monitoramento informatizados do trânsito animal, para reforçar o serviço de inteligência.
MERCADOS – Ortigara diz que a partir da conquista desse novo status sanitário, o Paraná poderá buscar novos mercados que pagam mais pela qualidade da carne livre da vacina. Apesar da espécie vacinada contra a febre aftosa ser a bovina, os impactos positivos de comercialização vão se refletir em todas as cadeias de proteína animal, principalmente na avicultura e suinocultura, atividades nas quais o Paraná é tido como referência nacional e mundial na produção.
O novo status sanitário, afirma o secretário, permitirá ao Paraná dobrar as exportações de carne suína, das atuais 107 mil toneladas para 200 mil toneladas por ano. Isso pode acontecer em caso de o Estado conquistar apenas 2% do mercado potencial, liderado por Japão, México e Coreia do Sul, que pagam mais pelo produto com reconhecida qualidade sanitária.
Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em: http:///www.facebook.com/governoparana e www.pr.gov.br 

Cotidiano

TECNOLOGIA

Governador reforça a ministro meta de tornar o Paraná polo agritech

MERCADO

Paraná mantém crescimento de empregos e totaliza 40.537 em sete meses

COMUNIDADE

Estado vence prêmio nacional de habitação de interesse social

ALTO PARANÁ

Prefeitura reconstrói ponte dos 100 alqueires

CÂMARA

Projeto acaba com prescrição para crime de estupro contra menores de 14 anos

PARANÁ

67% dos jovens que cumprem medidas socioeducativa farão o Encceja

PARANÁ

Treinamento internacional para emergência sanitária em febre aftosa envolve 90 propriedades

INFRAESTRUTURA

Recuperação de trecho da PR-323 beneficia 550 mil pessoas

SOCIAL

Programa "Crianças Saudáveis, Futuro Saudável" beneficia 10 mil pessoas no Paraná

CONFIANÇA

Industrial paranaense mantém otimismo em agosto

CÂMARA

Precisamos afastar de vez o fantasma da recriação da CPMF, afirma Rubens Bueno

PARANÁ

Projeto defende assistência financeira às famílias pobres com gestação múltipla

BALANÇO

TCE-PR fiscaliza in loco 67 municípios e pede restituição de R$ 18,2 mi no 1º semestre

OPORTUNIDADE

Mestrado profissional para servidores recebe inscrições até sexta-feira

TREINAMENTO

Cursos especiais preparam bombeiros do Paraná para situações extremas

CONTAS PÚBLICAS

Tribunal promove ações para estimular o controle social em todo o Paraná

CIDADANIA

Começam as audiências públicas do Plano Plurianual 2020-2023

ECONOMIA

Paraná fecha 1º semestre com alta de 2,11% nas vendas

EVENTO

Sistema Fiep promove encontro paranaense da indústria de alimentos

AGRONEGÓCIO

Paraná avança para suspender vacinação contra febre aftosa

agência dream