Quarenta e dois anos depois da primeira manifestação, aconteceu  a emancipação político-administrativa do Paraná em re" />
Paranavaí
Min. 25°C Max. 36°C
HISTÓRIA

Paraná, 161 anos de emancipação política

19/12/14 00:00:00 - Cotidiano > Estadual

Quarenta e dois anos depois da primeira manifestação, aconteceu  a emancipação político-administrativa do Paraná em relação a São Paulo. Em 19 de novembro de 1811 foi criada a Comarca de Paranaguá e Curitiba, como território integrado à Capitania de São Paulo. Em 6 de julho do mesmo ano, a Câmara Municipal de Paranaguá apelou ao príncipe regente, Dom João VI, solicitando a emancipação da comarca e a criação da capitania do Paraná, independente de São Paulo. Mesmo após a Independência do Brasil, EM 1822, porém, os paranaenses continuaram submetidos a São Paulo.
Dois episódios tornaram evidente a importância política e estratégica da região: a Guerra dos Farrapos e as Revoltas Liberais de 1842.
A Guerra dos Farrapos (1835 a 1845), que começou no Rio Grande do Sul e se espalhou pela Província de Santa Catarina, era contra a centralização política imposta pelas exigências e o encarecimento dos produtos da pecuária sulina. As Revoltas Liberais de 1842, em Minas Gerais e São Paulo, foram promovidas pelo Partido Liberal, contra o ato de Dom Pedro II que dissolveu a Assembléia Geral.
Em 6 de fevereiro de 1842, uma lei provincial de São Paulo elevou Curitiba à categoria de cidade.
A economia paranaense expandia-se com a produção local da erva-mate, exportada para os mercados argentino, uruguaio, paraguaio e chileno, além do comércio de gado. O mate era o principal produto de exportação do Paraná, na época.
Em 29 de agosto de 1853, foi aprovado o projeto de criação da província do Paraná por força da lei imperial nº 704, assinada por Dom Pedro II. Embora a lei tivesse sido aprovada, o fato é que a Emancipação política do Paraná ainda demorou quatro meses para se concretizar. Como resultado de lei imperial, em 19 de dezembro de 1853, a província do Paraná separou-se da de São Paulo, deixando de ser a 5ª Comarca de São Paulo. Curitiba foi escolhida como capital da nova província e, na mesma data da emancipação política da província, chegou à capital Zacarias de Góis e Vasconcelos, o primeiro presidente (governador) do Paraná, que logo declarou que todos os seus problemas de administração poderiam ser resumidos em um só: povoar um território de 200 mil km² que contava com apenas 60.626 habitantes. Essa população distribuía-se principalmente nas cidades de Curitiba e Paranaguá.
A partir de então, um programa oficial de imigração europeia contribuiu para a expansão do povoamento e o aparecimento de novas atividades econômicas. As maiores levas de imigrantes que chegaram foram os poloneses, ucranianos, alemães e italianos e, os menores contingentes, suíços, franceses e ingleses. Para receber os novos habitantes para a região, foram fundados núcleos coloniais, principalmente no Planalto de Curitiba. Iniciou-se a exploração da madeira.
O novo impulso de desenvolvimento ocorreu com a implantação de ferrovias na Província. Em 1880, iniciavam-se as obras de construção da Estrada de Ferro Curitiba-Paranaguá, atravessando um dos trechos mais íngremes da Serra do Mar. Entre picos abruptos e abismos, engenheiros brasileiros construíram uma das obras-primas da engenharia mundial. Em 1885, os trens passaram a correr pela primeira vez entre Paranaguá e Curitiba.
A indústria madeireira desenvolveu-se com o aparecimento de outras ferrovias, ligando as regiões das Matas de Araucárias aos portos, principalmente de Paranaguá, e a São Paulo. Grande número de serrarias ia acompanhando as ferrovias em direção ao interior do Estado. Com o avanço das estradas de ferro que acompanhavam a expansão do café de São Paulo, o transporte com mulas foi desaparecendo. O declínio do comércio de muares acarretou uma crise na sociedade pastoril paranaense, dando lugar ao ciclo do café.
(SB)

Cotidiano

EXCESSO

MP aciona Detran para regularização de exames psicológicos para a CNH

TRANSPARÊNCIA

Assinado decreto que regulamenta a Lei Anticorrupção no Paraná

GOVERNO

Ratinho Junior recebe o futuro ministro da Justiça Sérgio Moro

OPORTUNIDADE

Prazo para Agricultores quitarem dívidas com desconto até dia 28

VEÍCULOS

Entram em vigor no Paraná as placas do modelo Mercosul

INFRAESTRUTURA

Paraná investe R$ 463,5 milhões em obras de pavimentação

GOVERNADOR ELEITO

Vamos potencializar a vocação do agronegócio no PR, diz Ratinho Júnior

GOVERNADOR ELEITO

Ratinho Junior discute a nova política com Luciano Huck

GOVERNO/PR

Todos os compromissos que assumi têm recursos garantidos, diz Cida

GOVERNADOR ELEITO

Ratinho Junior com Bolsonaro para discutir projetos de infraestrutura

CAMPANHA

Dezembro Laranja alerta para a importância da prevenção do câncer de pele

ESTADUAL

Procon promove mutirão online para renegociação de dívidas

ENSINO MÉDIO

CNE aprova nova base nacional curricular para o ensino médio

SEGURANÇA PÚBLICA DO PAÍS

Centro regional integra as forças de segurança dos três estados do Sul

HUDSON JOSÉ

Ratinho anuncia nome do Secretário de Comunicação

GOVERNO

Funcionários da educação passam a ter direito à meia-entrada

TRÂMITES

IAP desburocratiza processo de licenciamento ambiental

GOVERNO/PR

Cerimônia de posse do novo governador acontece no dia 1º

EM UM ANO, MAIS 3 MESES E 20 DIAS

Expectativa de vida do paranaense aumenta para 77,4 anos

CIA/PM

Colorado passa a abrigar companhia independente da PM

diario do noroeste
diario do noroeste
diario do noroeste
agência dream