Paranavaí
Min. 22°C Max. 32°C
SEGURANÇA PÚBLICA DO PAÍS

Centro regional integra as forças de segurança dos três estados do Sul

05/12/18 00:00:00 - Cotidiano > Estadual
Centro regional integra as forças de segurança dos três estados do Sul A governadora Cida Borghetti com o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann quando da instalação do Centro Integrado de Inteligência de Segurança Pública da Região Sul Foto: Orlando Kissner/ANPr

CURITIBA - A governadora Cida Borghetti e o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, inauguraram em Curitiba o Centro Integrado de Inteligência de Segurança Pública da Região Sul (CIISP), o primeiro instalado no País.
O espaço, localizado no quinto andar da Secretaria de Estado da Segurança Pública, vai promover a integração das forças de segurança dos três estados da região Sul.
O governo federal prevê a instalação de cinco centros integrados, um em cada região brasileira. O objetivo é centralizar todas as informações relacionadas ao combate ao crime organizado, tráfico de armas e de drogas para diminuir os índices de criminalidade no País. A previsão de investimento federal é de R$ 15 milhões.
A instalação do CIISP da Região Sul no Paraná é resultado da cooperação mútua entre a União, por intermédio da Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Segurança Pública, e o Governo do Estado.
O pedido para que a unidade ficasse no Paraná foi encaminhado em maio ao governo federal pela governadora Cida Borghetti. “Quando soubemos do projeto, nos antecipamos com o comando da Polícia Militar e a Secretaria de Segurança Pública e protocolamos o pedido rapidamente, no mesmo dia em que o Ministério anunciou a criação desses centros”, afirmou Cida, na solenidade, ontem.
A governadora ressaltou que o trabalho de integração das forças de segurança do Estado, reforçado nos últimos meses, demonstra que o Paraná está preparado para sediar o centro de inteligência.
“Temos o espaço físico e as forças de segurança unidas, além de fazer o monitoramento de fronteira com equipamentos sofisticados para detectar o contrabando e o tráfico de armas e drogas”, disse ela. “Todos esses elementos pesaram para que o Paraná fosse destacado para sediar o primeiro centro brasileiro”, afirmou.
ESTRATÉGICO - De acordo com o ministro, a escolha do Paraná se deu pela organização e integração das polícias paranaenses e pela localização estratégica do Estado em relação aos países de fronteira.
“Acreditamos que aqui teremos a capacidade de detectar e antecipar ações das facções criminosas. Para atuar preventivamente, precisamos ter uma repressão qualificada e voltada para a inteligência, o comando e o controle do crime organizado”, disse.
Jungmann explicou que entre 20 a 30 agentes ficarão lotados no local, incluindo profissionais da Polícia Federal e das forças de segurança do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.
“O Paraná vai coordenar as atividades de inteligência da região Sul, em conjunto com todas as forças de segurança e inteligência do governo federal e as Forças Armadas”, explicou. “Isso deverá ser ampliado, talvez com a participação de policiais de outros países que fazem fronteira com o Paraná”, disse.

PRODUZIR CONHECIMENTO

O Governo do Estado disponibilizou a parte física, enquanto que o custeio da estrutura para o funcionamento do centro foi disponibilizado pelo governo federal. A União vai custear a mobilização dos servidores dos outros estados para atuarem no centro integrado e também fará a capacitação e o compartilhamento de recursos tecnológicos de inteligência.
O secretário da Segurança Pública, Júlio Reis, afirmou que dez agentes estaduais já serão destacados para atuar no local. A pasta também vai implantar um comitê para fazer o convite a outros órgãos federais e dos estados do Sul. “Eles vão trabalhar juntos no mesmo local para produzir conhecimento de interesse da segurança pública, fortalecendo as investigações policiais e as ações preventivas”, afirmou.
Além de promover a integração das forças de segurança pública da região Sul, o centro também vai gerar conhecimento estratégico para o enfrentamento qualificado da criminalidade, especialmente das organizações criminosas. O Centro Integrado de Inteligência vai ocupar o mesmo espaço do Centro Integrado de Comando e Controle, que teve investimento de mais de R$ 40 milhões e ficou como legado da Copa do Mundo.

Cotidiano

ASSEMBLEIA/PR

Delegada fala em ações mais efetivas de combate à violência contra mulher

MPPR RECOMENDA

Nova Olímpia e Tapira debem adoter providências para controle e prevenção da tuberculose

TCE

Falta de resposta ao IEGM 2018 bloqueará Certidão Liberatória de município

COM RESPONSABILIDADE

Presidente do TCE-PR pede a gestores responsabilidade ao terceirizar serviços

PRÊMIOS

Nota Paraná premia um morador de Maringá e dois de Curitiba

PARANÁ

Projeto de lei propõe redução da máquina e economia de R$ 10,6 milhões

FILME DE ARAPONGAS:

“Jesus, a Esperança” traz grande expectativa para a Semana da Páscoa

PREVISÕES

Outono: Estação chega com chuvas na maioria das regiões

COMÉRCIO

Paraná começa o ano com alta de 8% no varejo

GOVERNO/PR

Plano de metas do Estado é um norte para a sociedade paranaense

INVESTIGAÇÃO

Irregularidade na construção de escolas prejudica alunos no Paraná

AUMENTO DA INADIMPLÊNCIA

90,8% dos paranaenses estão endividados

ASSEMBLEIA

Delegada faz alerta sobre os efeitos da pornografia no cérebro das crianças

SEGUE EM ALERTA

PR não registra novos casos de febre amarela

DESENVOLVIMENTO PELO TURISMO

Fórum coloca a Rural como protagonista no desenvolvimento regional, diz Tião Medeiros

ASSEMBLEIA/PR

Consumidor, conheça as leis e faça valer os seus direitos

SOBE O ALERTA

Municípios do Noroeste apresentaram primeiros casos autóctones de dengue

CASA CIVIL

Um governo que sabe para onde ir

EDUCAÇÃO

Primeira Prova Paraná será aplicada hoje em todo Estado

PARANÁ

Governo propõe lei que institui normas de conduta administrativa

agência dream