Paranavaí
Min. 13°C Max. 28°C
HABITAÇÃO

Saiba como agir em caso de dificuldade de pagamento de imóvel financiado

13/07/19 00:00:00 - Cotidiano > Nacional

Desde 2014, a quantidade de imóveis levados a leilão tem se mantido a patamares elevados. O desemprego e a perda de renda ainda são os principais fatores que levam à situação de inadimplência. De acordo com a Associação Nacional dos Mutuários – ANM/PR, pelas regras do financiamento imobiliário, a partir da terceira parcela atrasada, o imóvel já pode ir a leilão. Porém, muitas vezes, o desconhecimento dos mutuários ocorre porque a notificação emitida pelo agente financeiro pode demorar a chegar.
O presidente da associação, Luiz Alberto Copetti, orienta que, ao primeiro sinal de dificuldade no pagamento de parcelas de financiamento, o consumidor procure ajuda especializada. Levantamento da ANM/PR feito com base nos editais de leilões e venda direta de imóveis e terrenos aponta que 140 imóveis financiados pela Caixa Econômica Federal foram a leilão no primeiro trimestre deste ano. O número se manteve estável se comparado o mesmo período do ano passado, quando 132 mutuários tiveram seus imóveis levados a leilão.
Para evitar problemas relacionados ao financiamento da casa própria e até mesmo a perda do bem por dificuldade de pagamento das prestações, o presidente da ANM/PR reforça a importância de tomar alguns cuidados:
Evite forjar a renda e contrair financiamento acima de 30% da renda familiar. Procure adquirir um imóvel de acordo com a sua capacidade financeira;
Lembre que a compra do novo imóvel trará custos referentes a mudança, legalização da aquisição e impostos, que podem comprometer a capacidade de pagamento das prestações;
Fique atento com a prestação debitada em conta. Além do valor da parcela, o banco cobra uma taxa de manutenção que deve ser depositada mensalmente. O não pagamento nesta taxa deixa o mutuário inadimplente
Ao primeiro sinal de dificuldade, busque renegociação com o agente financeiro imediatamente;
Entre as possibilidades recomendadas para minimizar a dificuldade de pagamento está o uso do FGTS para abater o saldo devedor ou a prestação durante 12 meses. Mas atenção, essa modalidade de abatimento temporário não reduz a dívida, apenas dá fôlego para evitar a inadimplência;
Em caso de dificuldade de negociação com o agente financeiro ou para evitar o leilão, procure imediatamente uma assistência especializada. A ANM-PR está preparada para defendê-lo judicialmente,
Por meio de ação judicial, além de suspender o leilão, o mutuário pode trazer novamente o imóvel para o seu nome e retomar o pagamento do financiamento.

Cotidiano

DIA DA INFÂNCIA

Data promove reflexão sobre os direitos das crianças

AGRONEGÓCIO

Não há razões para barreiras comerciais por causa de queimadas, diz ministra

GERAL

Lava Jato investiga crimes que causaram prejuízos de R$ 6 bilhões

TRÁFICO

Polícia Civil apreende 7,7 toneladas de maconha em quatro dias

ECONOMIA

Audiência pública vai debater o Paraná livre da aftosa sem vacinação

RERESENTANDO O BRASIL

Cinco paranaenses na maior competição de educação profissional do mundo

EDUCAÇÃO

Encceja será no domingo; veja como consultar locais de prova

POLÍTICA

Bolsonaro diz que vai ouvir Guedes sobre novo imposto

FÓRUM DE AGRICULTURA

Acordo entre Mercosul e União Europeia deve modificar o perfil das exportações brasileiras

CONAB

Produção total de etanol deve ficar em 31,6 bilhões de litros

REFORMA TRABALHISTA

Queda de casos, mudanças nos sindicatos e novas relações

ECONOMIA

Repasses para o Minha Casa Minha Vida cresceram 142%

EM BRASÍLIA

Paraná participa de reunião no Ministério do Turismo

GRIPE

População deve manter medidas preventivas

APEX

Paraná é destaque na atração de investimentos estrangeiros

POLÍTICA

Bolsonaro: aumento de queimadas na Amazônia pode ser ação criminosa

DIREITOS DO CONSUMIDOR

Comissão da OAB promove, em Brasília, debate sobre superendividamento

IAPAR/CURSO

Cadeia da sericicultura precisa de inovação para crescer

SENADO

Audiências vai avaliar políticas de comércio exterior agropecuário

TEMPO

Efeitos das queimadas na região amazônica foram de baixa intensidade no céu do Paraná

agência dream