O Atlético-PR divulgou nesta sexta-feira (30) um comunicado para se desculpar por ter chamado atletas do São Paulo de "bambis" em nota divulg" />
Paranavaí
Min. 18°C Max. 30°C
OFENSA

Atlético-PR pede desculpas após chamar são-paulinos de "bambis"

01/06/14 00:00:00 - Esporte > Brasileirão

O Atlético-PR divulgou nesta sexta-feira (30) um comunicado para se desculpar por ter chamado atletas do São Paulo de "bambis" em nota divulgada na quinta.
O clube paranaense, insatisfeito com arbitragem no empate de 2 a 2 com São Paulo, pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro, havia protestado com um texto em seu site.
Logo no começo daquela nota, para dizer que o Atlético-PR tinha sido superior em campo, foi escrito que: "em nenhum momento a garotada do CT do Caju deixou a experiência de Rogério Ceni e demais bambis superar a nossa técnica e a nossa garra".
Já, nesta sexta, o Atlético-PR afirmou que não quis ofender o clube do Morumbi.
"A intenção da nota não foi, de forma alguma, ofender a instituição São Paulo Futebol Clube, a quem pedimos sinceras desculpas. Nossa intenção foi protestar veementemente contra o erro absurdo de arbitragem cometido em nosso jogo contra o SPFC, que nos tirou pontos preciosos na competição", diz o comunicado.
Em outro trecho, o Atlético-PR lamentou a repercussão gerada com a primeira nota.
"Reiteramos nossos protestos e lamentamos que a infelicidade no uso de uma expressão mal colocada tenha sido mais comentada do que o fato absurdo da validação de um gol claramente irregular."
A íntegra do comunicado:
"O texto publicado neste site teve grande repercussão na mídia nacional. A intenção da nota não foi, de forma alguma, ofender a instituição São Paulo Futebol Clube a quem pedimos sinceras desculpas. Nossa intenção foi protestar veementemente contra o erro absurdo de arbitragem cometido em nosso jogo contra o SPFC que nos tirou pontos preciosos na competição. Protestamos também contra o comportamento da equipe do Premiere FC na tentativa de justificar o erro do árbitro em um lance tão claro como foi aquele do gol "de braço". Reiteramos nossos protestos e lamentamos que a infelicidade no uso de uma expressão mal colocada tenha sido mais comentada do que o fato absurdo da validação de um gol claramente irregular."

agência dream