Paranavaí
Min. 13°C Max. 26°C
PEDIATRIA/ALERTA

Escolas e creches devem ter cautela ao exporem alunos à internet e aos monitores de computador

16/06/19 00:00:00 - Paranavaí > Local
Escolas e creches devem ter cautela ao exporem alunos à internet e aos monitores de computador É importante ficar atento ao tempo e conteúdos acessados por crianças e adolescentes

As evidências de pesquisas científicas sugerem: dispositivos tecnológicos de telas e mídias oferecem benefícios e riscos para a saúde das crianças e adolescentes, tornando-se necessário o planejamento de familiares, professores e cuidadores para que manter o processo de desenvolvimento de forma adequada. “Diante da relevância da interdisciplinaridade e do tempo em que as crianças permanecem nas escolas, entende-se que o papel do educador nas escolas é fundamental para a formação de um ser humano saudável”, observam especialistas na área.
O assunto mereceu atenção de documento científico lançado nesta semana pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP). Conjuntamente, dois de seus Departamentos – o de Desenvolvimento e Comportamento e o de Saúde Escolar da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) – publicaram o texto “Uso saudável de telas, tecnologias e mídias nas creches, berçários e escolas”. O objetivo é partilhar conhecimentos da literatura científica médica com as equipes de pedagogos, professores, auxiliares escolares e educadores sobre o uso correto da tecnologia em prol de um desenvolvimento neuropsicomotor satisfatório na infância e adolescência.
Segundo o documento – publicado no dia 3 (segunda-feira) – o desenvolvimento da criança é de responsabilidade da equipe de saúde, da família e do educador, que ajudam no processo de formação, sobretudo pelos exemplos e ações. Nesse sentido, têm relevância o tempo de permanência na escola, o conteúdo repassado e a atuação dos educadores, entre outros.
RISCOS – Segundo o documento, entende-se como riscos os efeitos negativos para a saúde nas áreas do sono, da atenção, do aprendizado, do sistema hormonal (com risco de obesidade), da regulação do humor (com risco de depressão e ansiedade), do sistema osteoarticular, da audição, da visão, além do risco de exposição a grupos de comportamentos de risco e a contatos desconhecidos, com possibilidade de acesso a comportamentos de autoagressão, tentativas de suicídio e crimes de pedofilia e pornografia.
Esses efeitos deletérios já haviam sido abordados, de modo genérico, em outro documento lançado pela SBP em 2016. O trabalho “Saúde das crianças e adolescentes na Era Digital”, que deve ser lido e consultado por pais, professores, educadores, cuidadores, escolares e adolescentes sobre este assunto, recomendava o tempo adequado de exposição às telas e à internet para cada idade, de acordo com a maturação e desenvolvimento cerebral.
Os dois estudos produzidos pela SBP dialogam ao demonstrar evidências que quão mais nova a criança, menor a capacidade do cérebro de discernir a ficção da realidade. Além disso, durante os primeiros anos de vida a formação da arquitetura cerebral é acelerada e servirá de suporte para todo o aprendizado futuro.
“Torna-se essencial que os cuidadores e educadores priorizem atividades que auxiliem o aproveitamento do potencial dessas crianças e, portanto, o uso consciente das telas é fundamental. As escolas são fontes de conhecimentos e possuem papel importante em fornecer bons exemplos para pais e cuidadores. O seguimento das diretrizes que protegem e estimulam as crianças de forma adequada pode gerar mudanças significativas em toda a sociedade”, destacam os especialistas.
PRINCÍPIOS - Dentre as conclusões apontadas pelo trabalho, está a necessidade de adequação da Lei nº 12.965 de 23 de abril de 2014, que estabelece princípios, garantias, direitos e deveres para o uso da Internet no Brasil, às atividades realizadas em escolas e creches de maneira a garantir o pleno desenvolvimento das crianças e protegê-las dos excessos e perigos do mau uso dos recursos tecnológicos na era digital.
“Os nativos da Era Digital têm direito à utilização e desfrute dos recursos tecnológicos para sua aprendizagem e auxílio ao seu desenvolvimento, mas as famílias e as instituições precisam se adequar no sentido de diminuir os riscos do mau uso dessas ferramentas”, observam os especialistas.
De forma complementar, o texto “Uso saudável de telas, tecnologias e mídias nas creches, berçários e escolas” reitera resultados obtido em 2013, a partir de um estudo científico, que demonstram que crianças de 6 meses a 3 anos, cujos cuidadores usavam livros com hábito frequente de leitura dirigida e linguagem gestual, exibiram mais conhecimento sobre os significados dos símbolos linguísticos.
Elas também obtiveram melhores resultados na avaliação da linguagem e das habilidades sociais, comparadas com outro grupo que passava o mesmo tempo de leitura do grupo acima, mas em aplicativos infantis de estímulo à linguagem e em programas e vídeos educativos na TV e smartphones.
Esse estudo mostra que a interação cuidador-criança e as brincadeiras livres não podem e não ser amplamente substituídas pela tecnologia do século XXI. Esta interação entre a crianças e os adultos e entre as próprias crianças é fundamental para o desenvolvimento e a socialização.
Compõem o Departamento Científico de Pediatria do Desenvolvimento e Comportamento os drs. Liubiana Arantes de Araújo; Lívio Francisco da Silva Chaves; Adriana Auzier Loureiro; Ana Márcia Guimarães Alves; Márcio Leyser; Ana Maria Costa da Silva Lopes; João Coriolano Rego Barros; Ricardo Halpern.
O Departamento Científico de Saúde Escolar é composto pelos drs. Joel Conceição Bressa da Cunha; Mércia Lamenha Medeiros; Abelardo Bastos Pinto Jr.; Cláudia Machado Siqueira; e Eliane Mara Cesário Pereira Maluf.

Paranavaí

PARANAVAÍ

Homem que quebrou imagem sacra assina termo circunstanciado e é liberado

CONTRA A DENGUE

Reservatórios permanentes de água precisam ser higienizados com frequência

POLÍTICA/PARANAVAÍ

Diretório municipal do PP promove reunião neste sábado

CMEI LUCILENE RODRIGUES

Divulgado Chamamento Público complementar para efetivação de matrícula

SESC DE PARANAVAÍ

Festival de cinema tem sessão gratuita. Filme de hoje: “Boas intenções”

PARANAVAÍ

Concurso de desenho sobre enfrentamento das violências já tem data de avaliação

REGIÃO

Caderno de diretrizes para inovação será lançado amanhã em Paranavaí

NESTA QUINTA-FEIRA

Filipe Barros vem a Paranavaí e quer contribuir com desenvolvimento regional

MÃES/NAMORADOS

Sorteio estadual da campanha Dose Dupla teve prêmio para Paranavaí

SOCIEDADE RURAL

Novo presidente toma posse em agosto propondo apoio aos produtores e investimentos no parque

PARANAVAÍ

Sesc promove “Brincando nas Férias”. Há vagas para a próxima semana

PARANAVAÍ

Secretaria esclarece redistribuição de atendimento no CRAS da Vila Operária

PARANAVAÍ/DOMINGO

Sanepar informa que abastecimento de água pode ser afetado em alguns bairros

FESTIVA DE CINEMA

Sesc de Paranavaí exibe hoje “Quem você pensa que sou”

PARANAVAÍ

Ação do clube de desbravadores reúne 500 quilos de alimentos

PARANAVAÍ

Sociedade Rural elege novo presidente por aclamação

PARANAVAÍ

PM registra menor incidência de crimes durante o primeiro semestre

OPORTUNIDADE

Prefeitura de Paranavaí tem 21 vagas de estágio

EM AGOSTO

Noroeste do Paraná terá nove representantes em Conferência Estadual de Segurança Alimentar

EMPREGO

Semana começa com 61 vagas na Agência do Trabalhador

diario do noroeste
agência dream