Paranavaí
Min. 9°C Max. 24°C
CRIME

Corpo de aposentado morto pelo filho continua no IML de Paranavaí

04/12/19 00:00:00 - Paranavaí > Policial
Corpo de aposentado morto pelo filho continua no IML de Paranavaí O crime aconteceu na noite de 23 de novembro (sábado)

Até o fim da tarde de ontem, o corpo do aposentado Manoel Ferreira da Rocha continuava no IML (Instituto Médico Legal de Paranavaí). O assassino confesso, Leonardo Batista da Rocha (21 anos), filho da vítima, levou os policiais, no fim da tarde da última segunda-feira (2), até o local onde enterrou o corpo do pai em um canavial entre as cidades de Paranavaí e Nova Aliança do Ivaí.      
Os policiais continuam com as investigações do crime, que teve a participação de uma adolescente de apenas 14 anos de idade, que seria namorada do assassino.  De acordo com o depoimento do assassino a adolescente participou de todas as fases do crime. A adolescente permanece internada no Cense, em Curitiba, instituição para menores infratores. A unidade de Paranavaí não possui ala feminina. 
A vítima foi morta com golpes de martelo e teve o corpo esquartejado para caber em uma mala de viajem. A informação junto ao IML é de que o corpo ainda iria passar por perícia realizada por um médico legista. O corpo não será velado antes do sepultamento.   
A Polícia Civil de Paranavaí começou a investigar o caso após o registro de desaparecimento feito por familiares. Os policiais visitaram a residência da vítima, localizada no Jardim Paulista, e perceberam que estava extremamente limpa. 
Em vistoria mais detalhada, foram encontradas manchas de sangue em um colchão que estava escondido no quintal. Pedaços de tecidos com sangue dentro de uma sacola e um balde plástico com manchas que aparentavam ser de sangue com um pedaço de tecido queimado também foram encontrados. 
O crime aconteceu na noite de 23 de novembro (sábado). O assassino e a cumplice fugiram para Curitiba no dia seguinte ao crime. Com os indícios de que o autor seria o filho da vítima, a Polícia Civil pediu a prisão temporária do suspeito e com apoio de policiais de Delegacia de Homicídios e de Proteção à Pessoa, em Curitiba, capturaram o jovem e a menor de idade.       
O assassino confesso permanece preso na carceragem da Delegacia de Paranavaí, onde deve aguardar a conclusão do inquérito policial. 
O rapaz já possuía vários antecedente policiais por incêndio, furto qualificado, corrupção de menores, uso de drogas e ameaça, e estava  em liberdade com monitoramento de tornozeleira eletrônica. Ele deverá responder pelo crime de homicídio qualificado, ocultação e vilipêndio de cadáver, com pena que pode ultrapassar 30 anos de prisão.

agência dream