Paranavaí
Min. 23°C Max. 34°C
PARANAVAÍ

Volume de chuva já é maior do que a média histórica para março

Sampaoli incomodado com o atraso de salário

  • Resultados diminuem diferenças no Panelão de Ouro do Campestre
  • Odair Hellmann descarta favoritismo no Gre-Nal
  • Panelão de Ouro e Máster Prata tem sequência no Campestre
  • Seleção amadora em Alto Paraná
  • Projeção de bons confrontos na Copa Pioneiro
  • ABC
  • América-MG
  • América-RN
  • Asa
  • Atlético-GO
  • Atlético-MG
  • Atlético-PR
  • Avaí
  • Bahia
  • Boa Esporte
  • Botafogo
  • Bragantino
  • Ceará
  • Chapecoense
  • Corinthians
  • Coritiba
  • Criciúma
  • Cruzeiro
  • Figueirense
  • Flamengo
  • Fluminense
  • Goiás
  • Grêmio
  • Guaratinguetá
  • Icasa
  • Internacional
  • Joinville
  • Náutico
  • Oeste
  • Palmeiras
  • Paraná
  • Paysandu
  • Ponte Preta
  • Portuguesa
  • Santa Cruz - PE
  • Santos
  • São Caetano
  • São Paulo FC
  • Sport
  • Vasco
  • Vitória-BA

Colunistas

Tânia Mara
Artigos
Dinei Feitosa
Sinopse Geral

Articulistas

André Maciel
EDENI MENDES
Fabiano Brum
Josué Ghizoni
Marcelo Rios
Márcia Spada
 - Terça-feira | Edição 18.233
Diário Digital Terça-feira | Edição 18.233 19/03/2019 Baixar
Paraná alcança segundo melhor mês em abate de frangos de sua história
AVICULTURA

Paraná alcança segundo melhor mês em abate de frangos de sua história

Estado abateu 161 milhões de cabeças de frango no período, número 2,3% superior ao mesmo período de 2018

Exportações paranaenses de caminhões crescem 244% em janeiro
ECONOMIA

Exportações paranaenses de caminhões crescem 244% em janeiro

As exportações de caminhões de carga produzidos no Paraná somaram US$ 47,2 milhões em janeiro deste ano, alta de 244% em relação ao mesmo mês de 2018 (US$ 13,7 milhões). Foi a maior variação entre os dez principais itens da pauta de exportações do Estado, segundo dados do Ministério da Economia, tabulados pelo Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social.“É o melhor resultado para o mês de janeiro na série histórica iniciada em 1997”, destaca Julio Suzuki, diretor de pesquisa do Ipardes. Até então, o recorde era o de 2008: US$ 26,7 milhões. Este salto, diz Suzuki, se reflete em bons indicadores sociais.“O crescimento das exportações paranaenses de caminhões impacta diretamente sobre o nível da produção, que, por sua vez, garante um maior nível de emprego em um setor que é caracterizado pelas ocupações mais qualificadas”, ressalta ele.O aumento expressivo foi alavancado pelas vendas de caminhões pesados. “Está diretamente relacionado à recuperação do mercado externo e também reflete a atuação proativa dos fabricantes de caminhões de carga para compensar as limitações existentes no mercado interno, que retraiu muito durante a recente crise brasileira”, analisa Suzuki.POSIÇÃO NACIONAL - O valor exportado no mês passado coloca o Estado na segunda posição do ranking nacional, atrás apenas de São Paulo, superando estados que abrigam grandes fabricantes de caminhões de carga, como Rio de Janeiro e Minas Gerais. Entre os países importadores dos veículos paranaenses, destacaram-se a Argentina e o México, cujas compras alcançaram US$ 20,6 milhões e US$ 13,9 milhões, respectivamente, em janeiro de 2019.CONTRAMÃO - O desempenho das exportações do segmento no Paraná está na contramão do País. Conforme as estatísticas do Ministério da Economia, as vendas externas brasileiras de caminhões de carga recuaram 6,4% no primeiro mês de 2019 em comparação com janeiro de 2018, de US$ 124,5 milhões para US$ 116,5 milhões. O recorde nacional do setor em janeiro foi verificado em 2017: US$ 169,7 milhões.SETOR APRESENTA PERSPECTIVAS OTIMISTAS - "Para 2019, as perspectivas para o setor de caminhões de carga no Paraná são muito promissoras, tanto para exportações quanto vendas domésticas, por conta da melhores condições da economia brasileira”, aponta o diretor de pesquisa do Ipardes, Julio Suzuki.Este ano, o Banco Central projeta expansão do PIB brasileiro em 2,5%. “Esse seria o melhor resultado desde o início da grave crise iniciada há alguns anos. Com esse crescimento, provavelmente ocorrerá uma reação do mercado interno de caminhões de carga que favorecerá as plantas industriais instaladas no Paraná”, avalia. Alegando sinais consistentes de retomada da economia e expectativa de elevação de 30% no mercado de caminhões do País, na semana passada a montadora Volvo anunciou a contratação de 300 funcionários, aumentando o segundo turno de caminhões na fábrica de Curitiba, além de mais R$ 250 milhões em investimentos até 2020. O montante se soma ao aporte de R$ 1 bilhão iniciado em 2017 e que será concluído este ano. O Paraná tem um papel relevante nas exportações da Volvo por conta da localização estratégica da planta curitibana, que funciona como um “hub” manufatureiro para abastecer a América Latina. A empresa aposta no crescimento das vendas externas em 2019, em virtude do cenário econômico mais positivo nos seus principais mercados, como Chile, Peru e Argentina. DAF - Inaugurada em 2013, a planta da DAF Caminhões em Ponta Grossa, nos Campos Gerais, também vem expandindo anualmente a produção para atender o mercado local e tem planos futuros de também passar a exportar. 

Toffoli abre inquérito para investigar fake news e ameaças à Corte
STF

Toffoli abre inquérito para investigar fake news e ameaças à Corte

BRASÍLIA (ABR) - O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, anunciou, no início da sessão plenária de ontem, a abertura de um inquérito para apurar notícias falsas (fake news) que tenham a Corte como alvo.A medida foi tomada “considerando a existência de notícias fraudulentas, conhecidas como fake news, denunciações caluniosas, ameaças e infrações revestidas de ânimos caluniantes, difamantes e injuriantes, que atingem a honorabilidade e a segurança do Supremo Tribunal Federal (STF), de seus membros e familiares”, disse Toffoli.Ele designou o ministro Alexandre de Moraes como relator da investigação, sem dar mais detalhes sobre o alvo específico do inquérito. Segundo a assessoria do Supremo, trata-se de um procedimento sigiloso.Ao fazer o anúncio, Toffoli fez uma defesa enfática do Supremo e da liberdade de imprensa. “Tenho dito sempre que não existe Estado Democrático de Direito, não existe democracia, sem um Judiciário independente e sem uma imprensa livre”.REPRESENTAÇÃO CONTRA PROCURADOR - O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, anunciou anteontem que vai entrar com uma representação no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) e na corregedoria do Ministério Público Federal (MPF) contra o procurador da força-tarefa da Operação Lava Jato Diogo Castor.A medida foi tomada pelo ministro durante a sessão de julgamento sobre a competência da Justiça Eleitoral para conduzir inquéritos de investigados na Operação Lava Jato. Por meio de um dos advogados que atuam no processo, Toffoli tomou conhecimento de um artigo assinado pelo procurador e publicado em um site de notícias, no qual Castor questionou a competência desse ramo da Justiça para atuar em casos de corrupção. Segundo o procurador, a Justiça Eleitoral, "historicamente, não condena ou manda ninguém para prisão"Em seguida,Toffoli disse que a Justiça Eleitoral não pode sofrer ataques de integrantes da Lava Jato. Segundo o presidente, a Justiça Eleitoral nunca se intimidou com nada e que ataques sem fundamento não serão tolerados.

PARANÁ

Estão abertas inscrições para o programa de projetos de inovação

Está aberto o prazo para apresentação de projetos ao Programa Sinapse da Inovação Paraná. Trata-se de uma parceria entre a Fundação Araucária e a Fundação Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras (Certi), que pretende estimular a criatividade e o empreendedorismo. O programa é dividido em três fases e terá um investimento do Governo do Estado de até R$ 4 milhões.O objetivo é transformar as ideias inovadoras em empreendimentos que incorporem novas tecnologias aos setores econômicos relevantes da economia paranaense.O edital faz parte de um novo conjunto de iniciativas da Fundação Araucária, visando a construção de Novos Arranjos de Pesquisa e Inovação (NAPIs) no Paraná.“Vamos priorizar a criação de riqueza e bem-estar ao cidadão paranaense, a partir do fortalecimento das atividades de ensino, pesquisa e extensão das instituições de ciência, tecnologia e inovação do Paraná. Sempre em harmonia com as demandas de desenvolvimento e as especificidades regionais do Estado”, disse o presidente da Fundação Araucária, Ramiro Wahrhaftig.Com base na análise do Ecossistema de Inovação do Estado do Paraná feita pela Certi, as áreas e setores priorizados para serem apoiados com recursos financeiros de programa são os seguintes: Agronegócio, Biotecnologia, Construção Civil, Economia Criativa, Economia Verde, Educação, Eletroeletrônicos, Energia, Mecânica e Mecatrônica, Mobilidade e Transportes, Químico e Materiais, Saúde e Bem-Estar, Tecnologia de Alimentos, Tecnologia da Informação e Comunicação e Turismo.Serão três fases eliminatórias em que os projetos devem ser submetidos. A primeira já está com inscrições abertas até o dia 3 de maio para a apresentação de ideias inovadoras. A divulgação dos projetos aprovados será em 10 de junho.Na segunda serão submetidos os projetos de empreendimento de 10 a 24 de junho. O resultado será divulgado em 29 de julho. A última fase receberá os projetos de fomento de 29 de julho a 12 de agosto. A divulgação do resultado final acontece até 27 de setembro.Durante as três fases da seleção, os proponentes receberão capacitações presenciais ou online, com o intuito de alinhar alguns conceitos importantes, para que possam aprimorar suas ideias e projetos. Serão contemplados até cem projetos de inovação com recursos de até R$ 40 mil como subvenção econômica. As propostas deverão ser apresentadas por meio do Portal Sinapse da Inovação www.sinapsedainovação.com.br/pr.Mais informações estão disponíveis no site www.fappr.pr.gov.br no link programas no edital Sinapse da Inovação.

PARANÁ

Empresários do comércio estão mais confiantes

CURITIBA - O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC), elaborado pela Confederação do Comércio do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e divulgado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR), aponta maior concentração de empresários otimistas em fevereiro. Com 129,1 pontos, verifica-se elevação anual de 14,4% e alta de 5,9% na comparação com janeiro. O índice nacional mostra 124,9 pontos, com variação de 3,2% na comparação com o mês anterior e aumento de 10,3% ante fevereiro de 2018.A pesquisa avalia três pontos fundamentais na rotina empresarial: Condições Atuais do Empresário do Comércio, Expectativa do Empresário do Comércio e Índice de Investimento do Empresário do Comércio. Em relação às Condições Atuais do Empresário do Comércio, que incluem a situação da economia, do comércio e das empresas comerciais, o índice teve aumento de 19,9% no Estado quando comparado ao mesmo mês anterior e de 17,1% comparado ao mesmo mês do ano anterior.A Expectativa do Empresário do Comércio, que mede expectativa com a economia brasileira, expectativa do comércio e expectativa de empresas comerciais, está positiva, tanto a nível estadual quanto nacional. No Paraná, o índice teve aumento de 12% na variação anual e de 1,3% ante janeiro, reafirmando a esperança dos empreendedores para este ano.O índice Investimentos, que apresentou crescimento anual de 15,4% no Paraná e de 1,3% na variação mensal, abrange indicador de contratação de funcionários, nível de investimentos das empresas e situação atual dos estoques. CONDIÇÃO ATUAL X EXPECTATIVAS - Proprietários de estabelecimentos comerciais com mais de 50 funcionários se enxergam em melhores condições do que as empresas menores. A expectativa se destaca frente à atualidade, sendo a condição atual do setor do comércio de 104 pontos na categorização geral, de 103,7 nas empresas com quadro funcional menor do que 50 colaboradores, e de 121,4 nas empresas com maior número de funcionários. A expectativa é praticamente idêntica nas três divisões da pesquisa.Para 37% dos empresários os investimentos estão um pouco menores; para 33%, um pouco maior; para 16% muito menor e, para 14%, muito maior do que no ano passado.

agência dream