Paranavaí
Min. 14°C Max. 32°C
ECONOMIA

Além do campo, estiagem tem efeitos sobre produção industrial da mandioca

Corinthians recebeu proposta para vender Danilo Avelar

  • Tite convoca a Seleção Brasileira para jogos de setembro
  • Após nova derrota em casa, São Lucas/Cresol joga hoje em Ampére
  • Acefunopa dá continuidade à Copa Noroeste
  • Paraíso das Camas Cup de Futsal acontece amanhã
  • Programação da Copa Noroeste de Futsal
  • ABC
  • América-MG
  • América-RN
  • Asa
  • Atlético-GO
  • Atlético-MG
  • Atlético-PR
  • Avaí
  • Bahia
  • Boa Esporte
  • Botafogo
  • Bragantino
  • Ceará
  • Chapecoense
  • Corinthians
  • Coritiba
  • Criciúma
  • Cruzeiro
  • Figueirense
  • Flamengo
  • Fluminense
  • Goiás
  • Grêmio
  • Guaratinguetá
  • Icasa
  • Internacional
  • Joinville
  • Náutico
  • Oeste
  • Palmeiras
  • Paraná
  • Paysandu
  • Ponte Preta
  • Portuguesa
  • Santa Cruz - PE
  • Santos
  • São Caetano
  • São Paulo FC
  • Sport
  • Vasco
  • Vitória-BA

Colunistas

Tânia Mara
Dinei Feitosa
Sinopse Geral

Articulistas

André Maciel
EDENI MENDES
Fabiano Brum
Josué Ghizoni
Marcelo Rios
Márcia Spada
 - Sábado | Edição 18.356
Diário Digital Sábado | Edição 18.356 17/08/2019 Baixar
Começou prazo para entrega da declaração de propriedade rural
ECONOMIA

Começou prazo para entrega da declaração de propriedade rural

Wellton Máximo Da Agência Brasil Os proprietários rurais de todo o país começam a enviar a Declaração do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural (DITR) de 2019. O prazo de entrega, iniciado anteontem (12) vai até às 23h59min59s de 30 de setembro. A Receita Federal espera receber 5,7 milhões de declarações este ano, cerca de 38 mil a mais que as 5.661.803 enviadas em 2018. A declaração só pode ser preenchida por meio do programa gerador da declaração, que pode ser baixado na página do órgão na internet. Devem apresentar a declaração pessoas físicas e jurídicas proprietárias, titulares do domínio útil ou que detenham qualquer título do imóvel rural. Apenas os contribuintes imunes ou isentos estão dispensados de entregar o documento. O produtor que perdeu ou transferiu a posse ou o direito de propriedade da terra desde 1º de janeiro também está obrigado a apresentar a declaração.A DITR deve ser preenchida no computador, por meio do programa gerador. O documento pode ser transmitido pela internet ou entregue em mídia removível (como CD ou pendrive) em qualquer unidade da Receita Federal. Quem perder o prazo pagará multa de 1% ao mês sobre o imposto devido, com valor mínimo de R$ 50. O contribuinte que identificar erros nas informações pode enviar uma declaração retificadora, antes de o Fisco iniciar o lançamento de ofício, sem interromper o pagamento do imposto apurado na declaração original.O Imposto sobre Propriedade Territorial Rural pode ser pago em até quatro parcelas mensais, mas nenhuma quota pode ser inferior a R$ 50. O imposto inferior a R$ 100 deve ser pago à vista até 30 de setembro, último dia de entrega da declaração. O pagamento pode ser feito por meio de Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf) em qualquer banco ou por transferência eletrônica de instituições financeiras autorizadas pela Receita.

Profissões ligadas à tecnologia serão mais promissoras, mostra levantamento
ECONOMIA

Profissões ligadas à tecnologia serão mais promissoras, mostra levantamento

Alex Rodrigues Da Agência Brasil Levantamento feito pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) mostra que as profissões ligadas à tecnologia estarão entre as mais promissoras, pelo menos nos próximos cinco anos. No período, ocupações que têm a tecnologia como base não só motivarão a abertura de novos postos de trabalho como exigirão a requalificação de parte da mão de obra hoje disponível.Realizado para subsidiar a oferta de cursos da instituição, o Mapa do Trabalho Industrial indica que, até 2023, o Brasil terá de qualificar 10,5 milhões de trabalhadores em ocupações industriais para fazer frente às mudanças tecnológicas e à automação dos processos de produção.Segundo o Senai, a demanda por profissionais qualificados dos níveis superior e técnico deverá criar vagas de trabalho para trabalhadores qualificados a exercer funções pouco lembradas há algum tempo. É o caso de ocupações como condutores de processos robotizados, cujo número de vagas a entidade calcula que aumentará 22% - contra um crescimento médio projetado para outras ocupações industriais da ordem de 8,5% no mesmo período.Além dos condutores de processos robotizados, as maiores taxas de crescimento do nível de ocupação deverão ocorrer entre pesquisadores de engenharia e tecnologia (aumento de 17,9%); engenheiros de controle e automação, engenheiros mecatrônicos e afins (14,2%); diretores de serviços de informática (13,8%) e operadores de máquinas de usinagem CNC (13,6%).Divulgado hoje (12), o Mapa do Trabalho 2019-2023 mostra que, entre as áreas que mais vão demandar formação profissional estão a metalmecânica (1,6 milhão vagas), construção (1,3 milhão), logística e transporte (1,2 milhão), alimentícia (754 mil), informática (528 mil), eletroeletrônica (405 mil), energia e telecomunicações (359 mil).O topo do ranking por área, no entanto, deverá ser liderado pelas chamadas ocupações transversais, compreendidas como aquelas cujos profissionais estão aptos a trabalhar em qualquer segmento, como pesquisadores e desenvolvimento, técnicos de controle da produção e desenhistas industriais. Neste segmento, o Senai estima a criação de 1,7 milhão de vagas nos próximos cinco anos. Técnicos de controle de produção; de planejamento e controle de produção; em eletrônica; eletricidade e eletrotécnica e em operação e monitoração de computadores estão entre as 20 ocupações transversais que mais exigirão formação entre 2019 e 2023.A demanda por qualificação prevista inclui o aperfeiçoamento de trabalhadores que já estão empregados e, em parcela menor (22%), aqueles que precisam de capacitação para ingressar no mercado de trabalho. Essa formação inicial inclui a reposição em vagas já existentes e que se tornam disponíveis devido à aposentadoria, entre outras razões.O Mapa ainda indica que os profissionais com formação técnica terão mais oportunidades na área de logística e transporte, que exigirá a capacitação de 495.161 trabalhadores. A metalmecânica precisará qualificar 217.703 pessoas. De acordo com especialistas responsáveis pela elaboração do estudo, a área de logística destaca-se, entre outros fatores, pela necessidade de aumentar a produtividade por meio da melhoria dos processos logísticos.O Mapa do Trabalho Industrial é elaborado a partir de cenários sobre o comportamento da economia brasileira e dos seus setores, projetando o impacto sobre o mercado de trabalho e estimando a demanda por formação profissional com base industrial (formação inicial e continuada), e serve como parâmetro para o planejamento da oferta de cursos do Senai.

Copel faz mutirão em todo Estado para prevenir desligamentos
ENERGIA

Copel faz mutirão em todo Estado para prevenir desligamentos

Eletricistas da Copel trabalham neste sábado (17) na retirada de objetos que podem causar desligamentos na rede elétrica, principalmente durante o período chuvoso. Esta será a primeira vez em que a ação preventiva é realizada em formato de mutirão simultâneo, em todas as regiões do Estado. A operação Rede Limpa prevê a participação de cerca de mil profissionais da companhia de energia, em 60 municípios paranaenses.O contato de objetos estranhos com a rede elétrica, como pipas, tênis e pedaços de arame causaram, em 2018, 1.504 interrupções no fornecimento de energia na área de concessão da empresa. O período de chuvas no início da primavera preocupa, pois a umidade facilita a condução de energia em materiais que não possuem esta característica quando estão secos.O superintendente de Serviços Operacionais da Copel, Francis Alencar Prado, explica que o mutirão deste sábado visa minimizar o risco de falta de energia. “Uma pipa que enroscou na rede pode não trazer prejuízo imediato, mas ao molhar com a chuva pode gerar um curto-circuito e desligamento da rede”.Na área rural, o foco será evitar o contato da vegetação na fiação elétrica, que é a principal causa de falta de energia. “Para atuar nessa frente, teremos várias equipes trabalhando na poda e roçada”, informa o superintendente de Manutenção da Copel, Diego Augusto Correa.Os trabalhos do mutirão não terão impacto para os consumidores, pois serão executados com a rede ligada. Além da retirada dos objetos, as equipes farão ainda inspeção das redes, pequenos reparos, poda de galhos de árvores próximos dos fios e manutenção preventiva de subestações.A Copel opera em torno de 199 mil quilômetros de redes de distribuição para atender 4,6 milhões de ligações de energia em todo o Paraná. “Para manter este sistema energizado é preciso fazer manutenções preventivas constantes, deixando a rede de energia em perfeitas condições”, afirma Francis.O contato com a empresa pode ser feito pelos canais tradicionais ou pelo aplicativo gratuito para smartphones, disponível das lojas virtuais para os sistemas Android e iOS.

CÂMARA

Deputado pede a ministro manutenção da superintendência da Receita no Paraná

O deputado federal Rubens Bueno (Cidadania-PR) quer reverter decisão do governo federal que pode extinguir, dentro do processo de reestruturação da Receita Federal, a Superintendência da 9ª Região Fiscal, localizada em Curitiba, e que é responsável por toda atuação do órgão no Paraná e em Santa Catarina. Para isso, enviou ao ministro da Economia, Paulo Guedes, um pedido para que seja revogada a extinção da superintendência. Na avaliação do parlamentar, a medida prejudicaria toda a fiscalização em uma região que possui quatro dos mais importantes portos do país e o mais importante porto seco da América Latina, localizado em Foz do Iguaçu.“Vejo a medida como preocupante. O Ministério da Economia vem empreendendo esforços no sentido de otimizar os trabalhos da Receita Federal, o que é louvável. Contudo, não pode, com base nessa justificativa, penalizar os trabalhos de fiscalização e de atendimento aos contribuintes. Além disso, o trabalho da Receita é de fundamental importância no combate conjunto ao contrabando em nossa região”, afirma o deputado.O deputado ressalta ainda que dos cinco maiores portos em movimentação de contêineres do Brasil, três estão na região (Paranaguá, Itajaí/Navegantes e São Francisco do Sul/Itapoá), sendo que o de Paranaguá é o maior porto graneleiro da América Latina. “Além disso, em Curitiba, encontram-se o maior centro de controle de remessas expressas da América Latina e o melhor aeroporto do país, além de sediar o Centro de Certificação de Operadores de Comércio exterior da região Sul e o Centro Integrado de Inteligência de Segurança Pública-Regional Sul”, reforçou.

DIA DO CARDIOLOGISTA

Médico desvenda mitos e verdades das doenças que mais matam no mundo

Responsáveis por mais mortes do que câncer, guerras e álcool, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), os problemas cardiovasculares são a principal causa de óbitos. Por ano, de acordo com números do DataSUS, 360 mil brasileiros morrem por doenças desse tipo, sendo as principais o infarto aguado do miocárdio, enfermidades hipertensivas, insuficiência cardíaca e miocardiopatias.Em 14 de agosto, comemora-se o Dia Nacional do Cardiologista, profissional dedicado à redução dos óbitos de causa cardiovascular. O presidente da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp), Dr. José Francisco Kerr Saraiva, ressalta que as principais causas dessas enfermidades são evitáveis: tabagismo, uso excessivo de álcool, sedentarismo e má alimentação, que favorecem hipertensão, diabetes, obesidade e colesterol elevado. Ele ainda apresenta uma lista de mitos e verdades sobre o tema, confira: O coração não tem câncer Mito. Apesar de serem muito raros, existem casos em que o órgão é acometido pela doença. Em sua grande maioria, são tumores benignos e podem ser tratados com cirurgia. O câncer de coração, normalmente, ocorre após metástase de linfomas, sarcomas, melanomas e neoplasias de mama ou pulmão. Doenças cardíacas em mulheres são mais fataisVerdade. Os problemas cardiovasculares são a principal causa de mortalidade feminina no Brasil. Vale ressaltar que o público feminino tem sintomas mais sutis, como náusea e dor no pescoço, costas ou mandíbula. Isso acaba gerando confusão no diagnóstico e demora na busca por atendimento. Segundo a OMS, 8,5 milhões de mulheres morrem, anualmente, em todo o mundo, em decorrência de problemas no sistema cardiovascular. No Brasil, em 2017, foram 170,8 mil óbitos femininos.Bebidas energéticas não alteram os batimentos cardíacosMito. Uma lata dessa substância já é o bastante para que o coração se esforce mais do que o normal. E isso independe de fatores de risco para infarto, como obesidade, diabetes, sedentarismo e hipertensão. Os energéticos podem causar aumento de frequência cardíaca, alterações de pressão arterial e arritmias. A mistura dessa bebida com álcool pode ser ainda mais perigosa ao coração. Inverno aumenta risco cardiovascularVerdade. Principalmente idosos, cardiopatas e moradores em situação de rua têm as baixas temperaturas como agravante no risco de infartos. Isso porque o organismo aumenta a atividade metabólica para produzir mais calor para o corpo e o frio induz ao espasmo das artérias coronárias, podendo desencadear em insuficiência cardíaca, infarto do miocárdio ou arritmias. Mas não é só o inverno que age desta maneira no corpo: mudanças bruscas de temperatura, em geral, são prejudiciais para coração. Indivíduos saudáveis não correm risco de infartoMito. Um paciente com cardiopatia congênita ou adquirida não diagnosticada pode sim sofrer infarto fulminante. Uma estimativa da American Heart Association mostra que apenas 10% dos pacientes sobrevivem quando o evento cardiovascular ocorre em local público. Em residências, o índice cai para 6%.Ansiedade pode causar infartoVerdade. Em jogos de futebol, por exemplo, torcedores que ficam muito ansiosos aumentam as chances de infarto. O grande problema é quando isso ocorre em indivíduos com doença preexistente, porque há risco de morte súbita.Coração não tem relação com emoçõesMito. Um estudo apresentado durante o 40º Congresso da Socesp mostrou que guardar mágoas eleva o risco de infarto do miocárdio. Segundo a pesquisa, o perdão e a fé ajudam na saúde cardiovascular. As mágoas são geradoras de estresse, que provocam reações fisiológicas de defesa no organismo, com liberação de adrenalina e noradrenalina.O café faz mal ao coraçãoDepende. A cafeína deve ser consumida com muita cautela. Apesar de ter polifenol, uma substância antioxidante, que reduz risco de doenças cardíacas, o consumo excessivo pode provocar efeitos adversos ao organismo. Pacientes com alterações cardíacas podem apresentar aumento no nível de colesterol circulante, insônia e, se combinado com açúcar, o cafezinho se torna vilão do diabetes. No entanto, a ingestão de três xícaras de 40 mL por dia, no caso de café expresso, e três de 110 a 150 mL de café filtrado, quando não há restrição médica, não é prejudicial e pode até ser benéfica, reduzindo os níveis elevados de pressão arterial e, também, a mortalidade cardiovascular.Atividade física pode ser realizada sem supervisão médicaMito. Apesar de a prática de esportes ser indicada para que o paciente tenha benefícios à saúde, é preciso se cuidar para que o esforço físico não acarrete em um problema cardiovascular. Por isso, antes de iniciar qualquer rotina de atividade física, exames clínicos devem ser realizados previamente, tanto em crianças como em mais velhos.Dieta e estilo saudável de vida influenciam na saúde cardíacaVerdade. Essas talvez sejam as melhores alternativas para combater as doenças do coração. A alimentação saudável e os exercícios físicos auxiliam na redução de colesterol, diabetes e pressão alta, além de espantar o sedentarismo, importantes fatores de risco para o infarto.Chocolate é um aliado do coraçãoDepende. A ingestão do alimento se relaciona à produção deserotonina e feniletilamina, neurotransmissores ligados ao ânimo e à disposição. Mas o consumo exagerado é prejudicial, já que o chocolate é altamente calórico e tem muita concentração de açúcar. Algumas marcas ainda agregam a gordura trans, perigosa para a saúde. Cada 100 gramas podem conter de 350 a 500 calorias. O chocolate amargo tem efeitos benéficos ao coração: alguns estudos mostram que ele reduz a pressão arterial, além de proteger o órgão do envelhecimento causado por radicais livres.Uma morte a cada 40 segundosDe acordo com dados do DataSUS, em 2017 ocorreram 358 mil mortes causadas por doenças do aparelho circulatório no Brasil. Significa dizer que um a cada três óbitos tem como causa problemas cardiovasculares. "É um número alto e simboliza uma morte a cada 40 segundos proveniente de doenças que podem ser diagnosticadas e controladas. Somente a prevenção, com adoção de práticas saudáveis, o diagnóstico e o tratamento podem reverter essa situação", afirma Dr. José Francisco Kerr Saraiva, presidente da Socesp.

agência dream