Paranavaí
Min. 13°C Max. 28°C
EM JULHO

Paranavaí tem quinta maior geração de postos de trabalho do Paraná

São Lucas/Cresol joga hoje em Foz do Iguaçu

  • Elizeu participa da Copa Paraná
  • Copa Noroeste tem sequência hoje
  • Campeonato Veterano tem jogos em três cidades
  • Dojô Kan Sports de Tamboara, participou da 1ª Copa Bushido de Karatê
  • Escola Bola na Rede em três competições
  • ABC
  • América-MG
  • América-RN
  • Asa
  • Atlético-GO
  • Atlético-MG
  • Atlético-PR
  • Avaí
  • Bahia
  • Boa Esporte
  • Botafogo
  • Bragantino
  • Ceará
  • Chapecoense
  • Corinthians
  • Coritiba
  • Criciúma
  • Cruzeiro
  • Figueirense
  • Flamengo
  • Fluminense
  • Goiás
  • Grêmio
  • Guaratinguetá
  • Icasa
  • Internacional
  • Joinville
  • Náutico
  • Oeste
  • Palmeiras
  • Paraná
  • Paysandu
  • Ponte Preta
  • Portuguesa
  • Santa Cruz - PE
  • Santos
  • São Caetano
  • São Paulo FC
  • Sport
  • Vasco
  • Vitória-BA

Colunistas

Tânia Mara
Dinei Feitosa
Sinopse Geral

Articulistas

André Maciel
EDENI MENDES
Fabiano Brum
Josué Ghizoni
Marcelo Rios
Márcia Spada
 - Sábado | Edição 18.362
Diário Digital Sábado | Edição 18.362 24/08/2019 Baixar
Número de participantes na Prova Paraná cresce 61,2%
EDUCAÇÃO

Número de participantes na Prova Paraná cresce 61,2%

A participação de estudantes na segunda edição do Prova Paraná – avaliação diagnóstica ofertada pelo Governo do Estado por meio da Secretaria de Estado da Educação e do Esporte – aumentou 61,2%. Enquanto na primeira edição 98 mil alunos do Ensino Fundamental e 434 mil do Ensino Médio participaram, na segunda avaliação esse número passou para 108 mil alunos do Fundamental e 750 mil do Médio.Nas escolas municipais, que recebem a Prova Paraná da secretaria estadual, a adesão chegou a 92% e nas instituições de ensino da rede estadual a participação foi de 88%. Os números do balanço divulgado pela pasta referem-se ao comparativo do primeiro com o segundo semestres.“O importante nessa segunda edição foi o aumento da adesão e da participação dos estudantes. As escolas estaduais e municipais fizeram uma mobilização incrível. Aderiram 398 municípios, que já instituíram a Prova Paraná como uma rotina de avaliação e acompanhamento da aprendizagem. A Educação só tem a ganhar”, avalia o superintendente da secretaria estadual, Raph Gomes Alves.RESULTADOS - Os resultados da Prova Paraná possibilitam às escolas um diagnóstico sobre quais são os conteúdos que os alunos estão aprendendo mais ou aprendendo menos e quais são as dificuldades de aprendizado. Todos esses dados são verificados por ano e por escola, de modo que as equipes gestoras tenham em mãos relatórios detalhados sobre o desempenho de seus alunos.Na segunda edição, entre os conteúdos de Língua Portuguesa com maior desempenho, conforme a série, estão: identificar efeitos de ironia ou humor em textos variados (94% de acertos no 8º ano do Ensino Fundamental e 92% de acertos no 7º ano do Ensino Fundamental); interpretar texto com auxílio de material gráfico diverso (89% dos acertos no 5º ano do Ensino Fundamental) e estabelecer relações lógico-discursivas presentes no texto (com 88% de acertos no 1º ano do Ensino Médio).Em Matemática, os conteúdos com maior número de acertos foram: reconhecer figuras tridimensionais (95% de acertos no 5º ano do Ensino Fundamental e 94% de acertos no 6º ano do Ensino Fundamental); identificar propriedades de triângulos pela comparação de medidas de lados e ângulos (81% de acertos no 1º ano do Ensino Médio) e reconhecer números reais representados em diferentes contextos (também 81% de acertos no 7º ano do Ensino Fundamental).Entre os conhecimentos de Língua Portuguesa com menor desempenho, por ano, foram: identificar o conflito gerador do enredo e os elementos que constroem a narrativa (25% de acertos no 8º ano do Ensino Fundamental); inferir uma informação implícita em um texto (26% de acertos 7º do Ensino Fundamental) e estabelecer relações entre partes de um texto, identificando repetições ou substituições que contribuem para a continuidade de um texto (29% de acertos no 6º ano do Ensino Fundamental).Os conhecimentos de Matemática com menor desempenho, por ano, estão: resolver problema envolvendo a área total e/ou volume de um sólido, como prisma, pirâmide, cilindro, cone, esfera (8% de acertos na 3ª e 4ª séries do Ensino Médio); identificar diferentes representações de um mesmo número racional (9% de acertos no 6º ano do Ensino Fundamental) e resolver problemas envolvendo o Teorema de Tales (12% de acertos no 1º ano do Ensino Médio).MÃOS À OBRA – Uma das grandes ações de apoio pedagógico a partir da Prova Paraná é o Projeto Tutoria. São acompanhas por um Núcleo Regional de Educação 1,7 mil escolas em que foram identificadas maiores dificuldades. O objetivo é a elaboração de ações pedagógicas e de gestão escolar.Outra ferramenta é a Prova Comentada, que apresenta a resolução e a descrição de cada questão e pode ser utilizada como material de apoio para o professor trabalhar em sala de aula. A pasta também elaborou uma lista de exercícios com sugestões de atividades que podem ajudar a abordagem dos conteúdos.“A Prova Paraná é um excelente instrumento de diagnóstico e monitoramento de aprendizagem, porque permite que se acompanhe a evolução de aprendizagem de cada estudante, inclusive identificando quais são os conteúdos em que há maior dificuldade, para preparar intervenções pedagógicas direcionadas”, explica Alves.TERCEIRA EDIÇÃO – A próxima edição da Prova Paraná será aplicada em 24 de setembro para alunos do 5º ao 9º ano do Ensino Fundamental e para estudantes do 1º ao 3º e 4º anos do Ensino Médio, além das turmas da Educação para Jovens e Adultos (EJA).

Começou prazo para entrega da declaração de propriedade rural
ECONOMIA

Começou prazo para entrega da declaração de propriedade rural

Wellton Máximo Da Agência Brasil Os proprietários rurais de todo o país começam a enviar a Declaração do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural (DITR) de 2019. O prazo de entrega, iniciado anteontem (12) vai até às 23h59min59s de 30 de setembro. A Receita Federal espera receber 5,7 milhões de declarações este ano, cerca de 38 mil a mais que as 5.661.803 enviadas em 2018. A declaração só pode ser preenchida por meio do programa gerador da declaração, que pode ser baixado na página do órgão na internet. Devem apresentar a declaração pessoas físicas e jurídicas proprietárias, titulares do domínio útil ou que detenham qualquer título do imóvel rural. Apenas os contribuintes imunes ou isentos estão dispensados de entregar o documento. O produtor que perdeu ou transferiu a posse ou o direito de propriedade da terra desde 1º de janeiro também está obrigado a apresentar a declaração.A DITR deve ser preenchida no computador, por meio do programa gerador. O documento pode ser transmitido pela internet ou entregue em mídia removível (como CD ou pendrive) em qualquer unidade da Receita Federal. Quem perder o prazo pagará multa de 1% ao mês sobre o imposto devido, com valor mínimo de R$ 50. O contribuinte que identificar erros nas informações pode enviar uma declaração retificadora, antes de o Fisco iniciar o lançamento de ofício, sem interromper o pagamento do imposto apurado na declaração original.O Imposto sobre Propriedade Territorial Rural pode ser pago em até quatro parcelas mensais, mas nenhuma quota pode ser inferior a R$ 50. O imposto inferior a R$ 100 deve ser pago à vista até 30 de setembro, último dia de entrega da declaração. O pagamento pode ser feito por meio de Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf) em qualquer banco ou por transferência eletrônica de instituições financeiras autorizadas pela Receita.

Paraná mantém crescimento de empregos e totaliza 40.537 em sete meses
MERCADO

Paraná mantém crescimento de empregos e totaliza 40.537 em sete meses

O Paraná manteve a tendência de crescimento na criação de empregos. No acumulado de 2019, o Paraná abriu 40.537 vagas, sendo a quarta unidade da federação que mais empregou.Em julho, o saldo de postos de trabalho foi de 571 vagas formais, de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta sexta-feira (23) pelo Ministério da Economia. Os setores que mais empregaram no Estado foram serviços (2.248 novos postos) e construção civil (663).O Governo do Estado ampliou as ações para induzir a geração de emprego e renda no Paraná. Neste mês, o governador Carlos Massa Ratinho Junior lançou o programa Descomplica, que facilita a vida de quem quer empreender e gerar emprego. O programa tem três vertentes: liberação do CNPJ e das autorizações para empresas de baixo risco em menos de 24 horas, soluções para fechamento de empresas e a instalação de um comitê permanente de desburocratização com a participação da sociedade civil.Também foram reforçadas as iniciativas para atrair novos investimentos produtivos. O principal exemplo é o Paraná Day, evento em que são apresentadas as potencialidades e oportunidade de investimentos no Estado a investidores e empresários. Já foram realizados eventos em Curitiba, São Paulo e em Nova York (EUA). Nesta terceira edição, o Paraná Day reuniu executivos de corporações internacionais que mantêm investimentos globais. A apresentação foi feita pelo governador Ratinho Junior, na Câmara de Comércio Brasil-EUA.Outro exemplo é o portal Invest Paraná, criado pela Agência Paraná Desenvolvimento e a Celepar e que concentra todas as informações disponíveis sobre o Estado para facilitar a atração de investidores nacionais e internacionais.PARCERIA – O secretário da Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost, destaca a parceria entre o Estado e o setor privado para agilizar e facilitar a contratação de trabalhadores em diversos setores e regiões do Paraná. “Os números demonstram o comprometimento da nossa gestão com a captação de novas vagas de empregos formais por intermédio das agências do trabalhador e em parcerias com o setor produtivo, no intuito de gerar cada vez mais emprego e renda para o trabalhador paranaense, fazendo com que também movimente a economia do nosso Estado”, disse.CONSTRUÇÃO CIVIL – A economista Suelen Glinsk, do Departamento do Trabalho da Secretaria de Justiça, Família e Trabalho, destaca o reaquecimento do mercado imobiliário como o grande destaque do mês de julho no Paraná. “A construção civil voltou a crescer e a empregar, com um efeito importante dos investimentos privados. Além disso, o setor de serviços representou um avanço considerável”, ressaltou.Para a economista, a melhora do setor da construção civil significa que os investidores estão mais otimistas, com planejamento de médio e longo prazo. “Isso alavanca também outros setores porque se trata de um setor que demanda muita prestação de serviços”, explicou.CIDADES – Curitiba liderou o ranking da geração de empregos em julho, com 2.684 postos, seguido por Cascavel (476), Pato Branco (1.925), São José dos Pinhais (358), Pinhais (221) e Paranavaí (219).DADOS NACIONAIS – Pelo quarto mês consecutivo, o emprego formal cresceu no Brasil. O Caged mostrou a abertura de 43.820 vagas de trabalho com carteira assinada em julho, um crescimento de 0,11% em relação a junho.Também houve crescimento no emprego se considerados os resultados dos sete primeiros meses deste ano. De janeiro a julho foram abertas 461.411 vagas formais, variação de 1,20% sobre o estoque. Em 2018, no mesmo período, as novas vagas tinham somado 448.263.Nos últimos 12 meses, o saldo ficou positivo em 521.542 empregos, variação de +1,36%. Assim como no acumulado do ano, os últimos 12 meses tiveram crescimento maior do que no período anterior. Em 2018, o saldo tinha ficado positivo em 286.121 vagas.

BALANÇO

TCE-PR fiscaliza in loco 67 municípios e pede restituição de R$ 18,2 mi no 1º semestre

Os auditores do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) estiveram em 67 municípios ao longo do primeiro semestre do ano para realizar fiscalizações previstas no Plano Anual de Fiscalização (PAF) de 2019. Das 60 visitas realizadas por analistas de controle externo da Coordenadoria de Auditorias (Caud) do órgão, 21 delas serviram para validar as respostas apresentadas pelos gestores nos questionários utilizados para aferir o Índice de Eficiência da Gestão Municipal (IEGM); 16 para verificar o funcionamento dos instrumentos de controle interno dos entes; 13 para averiguar a qualidade da prestação de serviços de atenção à saúde; e 10 para avaliar a gestão de resíduos sólidos por parte das prefeituras.No mesmo período, a unidade técnica do TCE-PR também desenvolveu ações de planejamento para preparar as auditorias que serão realizadas em mais municípios no segundo semestre, contemplando as áreas do transporte coletivo, educação e receita pública.A Caud também realizou, durante os seis primeiros meses do ano, sete inspeções e uma auditoria que resultou na emissão de Comunicação de Irregularidade – processo instaurado no TCE-PR quando os servidores identificam a ocorrência de dano ao patrimônio público ou outras ilegalidades no curso de uma fiscalização.Além das sanções propostas em função das irregularidades encontradas quando da realização dos oito procedimentos, foi requisitada a restituição, às entidades prejudicadas, de R$ 18.178.983,55 utilizados de forma indevida por seus gestores. As solicitações da Caud constam em processos que ainda devem ser julgados pelos órgãos colegiados do TCE-PR.Por fim, a unidade técnica do Tribunal também auditou, no período, R$ 283.115.934,07 em recursos repassados, por meio de nove contratos de financiamento externo, ao Estado do Paraná e aos municípios de Curitiba, Maringá, Cascavel, Paranaguá e Toledo. Os créditos foram contraídos pelos entes junto à Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) e ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para possibilitar a realização de programas ambientais, sociais e de mobilidade urbana, entre outros.Por sua vez, os auditores da Coordenadoria de Obras (COP) do TCE-PR estiveram em sete diferentes municípios no primeiro semestre deste ano. Foram auditadas, em Curitiba e Maringá, 11 construções de unidades habitacionais, sendo nove na primeira e duas na segunda cidade. Já em Araucária, Faxinal, Irati, Paranaguá e Rio Branco do Sul, 94 obras paralisadas foram visitadas por analistas do Tribunal no período. Ao todo, os valores dos empreendimentos fiscalizados somam R$ 133.044.493,99.PAF - O PAF 2019 prevê a realização, ao longo do ano, de auditorias in loco em pelo menos 96 municípios paranaenses – distintos dos 303 visitados por servidores do órgão de controle entre 2016 e 2018. Assim, em quatro anos, todas as 399 cidades do Estado terão sido auditadas ao menos uma vez pelo Tribunal, aproximando a corte de contas do cidadão, financiador e usuário dos serviços públicos fiscalizados.Responsáveis pelas auditorias do PAF 2019, a Caud e a COP foram criadas em abril de 2018. Desde então, a primeira vem desempenhando a fiscalização da gestão pública das entidades municipais do Paraná; das aplicações, pelo Estado e pelos municípios, dos recursos oriundos de financiamentos externos; e de alguns órgãos estaduais em conjunto com as inspetorias de controle externo (ICEs) do TCE-PR. Já a segunda unidade técnica tem como responsabilidade a fiscalização de obras públicas promovidas pelo Estado e pelos municípios do Paraná.

agência dream