Paranavaí
Min. 16°C Max. 27°C

Economia

PRODUÇÃO

Paraná alcança recorde histórico no abate de aves no primeiro quadrimestre

  • Transportadoras e caminhoneiros alertam para risco de nova paralisação
  • Paraná alcança segundo melhor mês em abate de frangos de sua história
  • Exportações paranaenses de caminhões crescem 244% em janeiro
  • Mercado financeiro prevê inflação em 4,02% neste ano
  • Produção de veículos cresce 6,7% em 2018, diz Anfavea
ESTATÍSTICA

Número de homicídios dolosos cai 32% no primeiro trimestre

O número de homicídios dolosos (com intenção de matar) caiu 32% no Paraná no primeiro trimestre deste ano em comparação com o mesmo período do ano anterior. Em janeiro, fevereiro e março de 2019 foram registrados 381 casos, contra 558 no mesmo período de 2018. Os números são do relatório estatístico da Secretaria da Segurança Pública e Administração Penitenciária.O registro de ocorrências de homicídios dolosos é o principal indicador da segurança pública e a redução da taxa mostra a eficiência das ações de combate à criminalidade. Um destaque no período apontado no balanço é que 271 (68%) dos 399 municípios do Estado não registraram homicídios durante o primeiro trimestre deste ano. Dos 128 municípios restantes, 67 tiveram apenas um caso.A redução foi constatada em 16 das 23 Áreas Integradas de Segurança Pública do Estado (AISP). Houve redução significativa em Curitiba e Região Metropolitana e na área que engloba os sete municípios do Litoral. Os números foram comemorados pelo governo, pois revelam o avanço da segurança pública do Estado. REGIÕES – Em Curitiba, a queda foi de 38% (foram 30 homicídios dolosos a menos se comparado o primeiro trimestre de 2019 com o de 2018). “Na capital foi feita uma readequação do policiamento ostensivo pela Polícia Militar com a utilização de módulos móveis em locais, dias e horários específicos, nos eixos de maior aglomeração de pessoas. Isso contribuiu largamente para o bom resultado, pois a presença policial inibe o crime, aliado ao trabalho dedicado de investigação feita pela Polícia Civil”, completou o secretário.Nos 22 municípios da Região Metropolitana de Curitiba, pertencentes a 2ª AISP, de São José dos Pinhais, a redução foi de 40%. Na 3ª Área Integrada de Segurança Pública, que engloba os sete municípios do Litoral, a redução foi ainda maior, de 52,5%.Para o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Péricles de Matos, a tendência de queda nos homicídios dolosos é resultado de diversos fatores. Ele destaca a modificação do padrão de operações, que passaram a ser focadas em áreas indicadas de alto índice de homicídio; o policiamento preventivo através de módulos móveis, o desenvolvimento de operações de trânsito e operações policiais, além do cumprimento de mandados de prisão. “A comunidade pode sempre contar com o apoio da polícia militar acionando o telefone 190”, afirmou.A maior redução do Estado foi percebida na 5ª Área Integrada de Segurança Pública de São Mateus do Sul, que registrou queda de 90% nos casos de homicídios dolosos; seguida pela 6ª AISP de União da Vitória e pela 21ª, de Cornélio Procópio, ambas com redução de 66,6%.

ECONOMIA

Consumo de energia no Paraná cresce 5% no primeiro trimestre

O consumo de energia elétrica aumentou 5,1% no Paraná no primeiro trimestre de 2019, em comparação com o mesmo período do ano passado. O índice considera o chamado mercado fio da Copel, que inclui todos os consumidores da sua área de concessão, entre usuários cativos, consumidores livres, concessionárias e permissionárias. O resultado foi divulgado no balanço financeiro da Companhia referente ao primeiro trimestre do ano.No total, foram consumidos 7,9 mil Gigawatts-hora (GWh) de energia no trimestre, frente a 7,5 mil GWh no mesmo período de 2018. O consumo do segmento de consumidores livres – que compraram energia da Copel Geração ou da Copel Comercialização – apresentou crescimento de 5,8%. Composto principalmente por indústrias, o aumento registrado no mercado livre se deu em função do crescimento da produção industrial no Paraná, que cresceu na casa dos 10% nos últimos meses.“Os resultados financeiros da Copel mostram que a lição de casa está sendo bem feita e que o ritmo da atividade econômica do Paraná está crescendo. Estamos preparados para acompanhar a demanda de energia crescente com plano de investimentos robustos e gestão financeira enxuta”, disse o presidente da Copel, Daniel Pimentel Slaviero. “Nossa meta é garantir cada vez mais energia de qualidade”, acrescentou.INVESTIMENTOS – O balanço da Companhia apresentou uma série de resultados robustos, que além de refletir o trabalho que está sendo desempenhado vai possibilitar que o investimento previsto para 2019 seja feito com ainda mais segurança.O EBITDA da Copel - cálculo que permite verificar a quantidade de recursos que a companhia gerou considerando apenas as atividades de sua operação - apresentou alta de 39,3% nos três primeiros meses do ano na comparação com o mesmo período de 2018, com um total de R$ 1,1 bilhão. Já o lucro líquido foi de R$ 506 milhões.Em 2019, a Copel vai investir quase R$ 2 bilhões. Deste total, 18% já foram aplicados no primeiro trimestre – R$ 360 milhões já foram alocados no reforço, expansão, modernização e melhoria dos seus sistemas da geração, transmissão e distribuição de energia entre janeiro e março deste ano. A maior parte deste montante foi para a área de distribuição – R$ 206 milhões –, segmento que em 2019 conta com o maior investimento da história: R$ 836 milhões.

 - Quinta-feira | Edição 18.285
Diário Digital Quinta-feira | Edição 18.285 23/05/2019 Baixar
agência dream